(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Buscas sobre saúde na web explodem no País

Saúde Comentários 02 de dezembro de 2016

Entre os assuntos mais procurados nos mecanismos de busca digitais, estão dicas de alimentação e emagrecimento, entre outros


A internet, os smartphones e dispositivos pessoais revolucionaram a vida das pessoas de muitas maneiras e agora essa tendência chega à área da saúde. De acordo com a pesquisa Jornada Digital do Paciente, realizada pelo Minha Vida, empresa que desenvolve produtos digitais relacionados à saúde, 94% dos respondentes buscam informações sobre saúde na internet – em buscadores como o Google ou em sites especializados. A televisão ficou em segundo lugar como fonte de informação sobre saúde, com 52%, e as revistas em terceiro (44%).
Segundo Daniel Wjuniski, CEO e sócio-fundador do Minha Vida, a pesquisa já é realizada há quatro anos e busca identificar as necessidades, percepções e hábitos de saúde dos usuários.
Embora se busque muitas informações sobre saúde, os tópicos mais procurados são alimentação, doenças, sintomas, emagrecimento e tratamentos. Em relação à faixa etária, os mais jovens usam o “Dr. Google” muito mais que os mais velhos e as mulheres mais do que os homens.
Ainda de acordo com o levantamento, realizado com 3.800 pessoas, 78,3% dos respondentes afirmaram buscar informações sobre saúde na internet antes e depois de uma consulta médica. A prática é maior entre jovens e mostra que hoje o paciente não se contenta apenas com as informações passadas pelo médico, mas busca informações que reafirmem esse posicionamento – a maioria das buscas acontece após a consulta. Apesar disso, quando se fala de tratamento e medicamentos, felizmente a indicação médica prevalece.
A pesquisa também analisou os hábitos de pessoas com e sem plano de saúde no uso de novas tecnologias para questões de saúde. Os resultados mostraram que pessoas com plano são mais abertas a essas ferramentas em comparação com as sem plano. Por exemplo, quando se trata de marcar consultas pela internet, cerca de 28% das pessoas com plano de saúde afirmaram já ter agendado, contra 15% entre as sem plano. Os usuários de plano também têm um hábito maior de manter contato com seu médico via WhatsApp: 23% contra 11% entre os sem plano.
Em relação a compras pela internet, em média 3 entre 10 entrevistados já utilizaram esse meio para comprar medicamentos. A rejeição do canal para essa função é maior entre os mais velhos e entre as classes mais baixas.
Já sobre o uso de aplicativos de saúde, a liderança é daqueles voltados para o emagrecimento e em segundo lugar aplicativos voltados para a prática de exercícios físicos em casa. Como já era de se esperar, o uso dessas ferramentas é maior entre os mais jovens e em classes mais altas, exceto pelo pedômetro (utilizado para contar passos), que é pouco conhecido entre os mais jovens. Surpreendentemente, na comparação entre os sexos, os homens usam mais aplicativos de saúde que as mulheres.
Os resultados da pesquisa mostram a função empoderadora da internet, mas também ilustram como as pessoas confiam nessa fonte. No entanto, ainda é preciso cuidado ao procurar informações on-line, principalmente no que diz respeito a doenças e tratamentos.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Saúde

Anápolis tem alta incidência de sífilis

20/10/2017

A Secretaria de Estado da Saúde divulgou o Boletim Epidemiológico da Sífilis, publicação técnica da Coordenação Estad...

Goiás registra queda nos casos de catapora

05/10/2017

A catapora, cientificamente chamada varicela, é uma infecção viral primária, aguda, altamente contagiosa, caracterizada p...

Protesto contra a falta de insulinas

28/09/2017

A falta de regularidade na dispensação de insulinas e insumos aos diabéticos cadastrados em um programa mantido pela Prefe...

Região de Anápolis mantém baixa em novos casos de dengue

21/09/2017

Anápolis pode fechar 2017 com bons indicadores em relação à dengue. Desde o início do ano, o Município mantém uma baix...