(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Brasil é um dos países que menos gastam com educação

Educação Comentários 28 de junho de 2013

Pesquisa internacional coloca o País entre os piores em desenvolvimento educacional


No momento em que as reivindicações mostradas nas passeatas e manifestações populares apontam para a exigência de uma educação com melhor qualidade, surge a revelação de que o ensino brasileiro está longe da média internacional. A despesa anual do Governo com alunos do ensino médio em 2010 foi de US$ 2.571 (R$ 5.715,33) por estudante, enquanto a média da OCDE foi de US$ 9.014 (R$ 20.038, 12) no mesmo ano. O gasto brasileiro equivale a 28,5% do custo em países desenvolvidos. O dado faz parte de um relatório da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) divulgado esta semana.
Entre os 32 países com dados disponíveis e divulgados pelo relatório, o Brasil ocupa o último lugar no ranking de investimento anual por aluno. O ensino médio, no Brasil, é tido como uma etapa problemática por sua alta taxa de abandono e evasão.
Na Finlândia, por exemplo, o gasto por aluno foi de US$ 9.162 (R$ 20.339,64) em 2010. No Chile, cada estudante do mesmo nível de aprendizagem custou US$ 3.110 (R$6.904,20).
No ensino fundamental, a diferença diminui - o Brasil investe US$ 2.778 (R$ 6.142,16) por ano enquanto os países da OCDE desembolsam US$ 7.974 (R$ 17.630,51).
O País só se aproxima do investimento médio dos demais, no ensino superior: em 2010, foram empenhados US$ 13.137 (R$ 29.168,08) por aluno no Brasil e, em média, US$ 13.528 (R$ 30.036,22) nos países da OCDE.
O relatório destaca ainda que, na última década, o Brasil aumentou o investimento público em educação, passando de 3,5% do PIB em 2000 para 5,6% do Produto Interno Bruto em 2010. O número, porém, fica abaixo da média dos membros da OCDE, de 6,3% do PIB em educação em 2010.

Graduação Brasil OCDE
Ensino Fundamental US$ 2.778 US$ 7.974
Ensino Médio US$ 2.571 US$ 9.014
Ensino Superior US$ 13.137 US$ 13.928

Emperrado há mais de dois anos no Congresso Nacional, o PNE (Plano Nacional da Educação) prevê a destinação de 10% do PIB brasileiro para a educação. O texto está no Senado e, das 20 metas estabelecidas, o cálculo da porcentagem do investimento representa, até agora, o maior entrave.

Ensino Superior
Apesar de investir quase o mesmo que os demais países no ensino superior, o Brasil tem o menor percentual da população com diploma. Em 2011, apenas 12% da população entre 24 e 64 anos alcançou a graduação. A média da OCDE é de 32%.
A organização mostra também que concluir o ensino superior no Brasil significa um aumento salarial médio de 157%. A diferença de rendimentos entre os trabalhadores que possuem e que não possuem diploma é de 57% entre os membros da OCDE.

Outros dados
De acordo com o relatório, 95% das crianças brasileiras entre 05 e 14 anos estavam na escola em 2011. A taxa de matrícula entre 15 e 19 anos aumentou de 75%, em 2007, para 77%, em 2011, mas ainda está bem abaixo da média dos países da OCDE, que é de 84%.
Na educação infantil, o Brasil fica entre os cinco piores colocados com, apenas, 36% das crianças de 03 anos e 57% de 04 anos matriculadas na escola. A média dos países membros da OCDE é de 67% e 85%, respectivamente.

OCDE
A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) é uma organização internacional que reúne 34 países que aceitam os princípios da democracia representativa e da economia de livre mercado, que procura fornecer uma plataforma para comparar políticas econômicas, solucionar problemas comuns e coordenar políticas domésticas e internacionais. Dela fazem parte: Austrália; Áustria; Bélgica; Canadá; Chile; República Tcheca; Dinamarca; Estônia; Finlândia; França; Alemanha; Grécia; Hungria; Islândia; Irlanda; Israel; Itália; Japão; Coréia; Luxemburgo; México; Holanda; Nova Zelândia; Noruega; Polônia; Portugal; Eslováquia; Eslovênia; Espanha; Suécia; Suíça; Turquia, Reino Unido e Estados Unidos.
O relatório "Education at a Glance 2013" ("Olhar sobre a Educação") analisa os sistemas de ensino dos 34 países membros da OCDE, bem como os da Argentina; Brasil; China; Índia; Indonésia; Rússia, Arábia Saudita e África do Sul. A OCDE também é responsável pela aplicação e divulgação dos resultados do Programa Internacional de Avaliação de Alunos.

Autor(a): Nilton Pereira

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Educação

Câmpus do IFG Anápolis tem nova diretora eleita

30/11/2017

A Comissão Eleitoral Central publicou no final da noite desta quarta-feira, 29, o resultado preliminar da eleição para dir...

Associação Educativa Evangélica celebra os 500 anos da Reforma Protestante

03/11/2017

Serão necessários mais 500 anos para que as futuras gerações tenham a noção da importância da celebração realizada n...

Saúde na Escola atende a quase 40 mil estudantes

20/10/2017

A Prefeitura de Anápolis, em parceria com o Governo Federal, está desenvolvendo o Programa de Saúde na Escola (PSE), um co...

Oficinas gratuitas oferecidas no programa Semana Cidadã

06/10/2017

A 1ª edição da Semana Cidadã, uma parceria entre a UniEVANGÉLICA e a Prefeitura Municipal de Anápolis, através da Secr...