(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Bispo fala sobre renúncia de Bento XVI

Geral Comentários 15 de fevereiro de 2013

Dom João Wilk ressalta que decisão do Papa foi uma grande demonstração de amor à igreja


O bispo diocesano de Anápolis, Dom João Wilk, comentou o anúncio da renúncia do Papa Bento XVI, que irá ocorrer no próximo dia 28. A notícia, segundo ele, “pegou a todos de surpresa, porque é uma decisão à qual não estamos acostumados”, disse o religioso, afirmando que em toda a história do papado, houve cinco ou seis registros, apenas, de renúncia.
Para Dom João Wilk, ao renunciar ao pontificado, Bento XVI deu uma demonstração de “grande preocupação e amor à Igreja Católica”, ao tomar a sua decisão, motivada pelos problemas de saúde e a idade avançada. Bento XVI está com 85 anos de idade e já de há algum tempo, tem problemas que, inclusive, afetam a sua locomoção. “Ele (Bento XVI) disse que a renúncia de um papa nunca deveria ocorrer num tempo difícil, mas de serenidade para não deixar problemas para o próximo e a Igreja vive um momento de serenidade”, pontuou.
Questionado sobre a possibilidade de o possível sucessor do Papa ser um cardeal brasileiro, Dom João Wilk salientou que a Igreja apoiará aquele que for o escolhido, independentemente da nacionalidade. “A igreja”, ponderou, acrescentando que a escolha acontecerá com a realização do conclave, através de um colegiado composto por 120 cardeais de diversas nacionalidades e com menos de 80 anos. A votação é fechada e secreta. Enquanto não é definido o novo Papa, a chaminé da capela produz uma fumaça cinza e, depois de feita a escolha é expelida uma fumaça branca. Em seguida, o novo representante do Vaticano “é apresentado aos desafios da igreja e aos seus fiéis na fachada da Basílica de São Pedro”, explicou Dom João Wilk.
A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil divulgou uma nota oficial, comentando a renúncia do Papa Bento XVI. Diz o texto: “A CNBB é grata à Sua Santidade pelo carinho e apreço que sempre manifestou para com a Igreja no Brasil. A sua primeira visita intercontinental, feita ao nosso País em 2007, para inaugurar a V Conferência Geral do Episcopado da América Latina e do Caribe, e, também, a escolha do Rio de Janeiro para sediar a Jornada Mundial da Juventude, no próximo mês de julho, são provas do quanto trazia no coração o povo brasileiro.”

Campanha da Fraternidade
Em relação à Campanha da Fraternidade, Dom João Wilk ressaltou que a ação não sofrerá qualquer tipo prejuízo, em razão do anúncio de renúncia do Papa. Tradicionalmente, a campanha acontece durante o período da quaresma, entre a quarta-feira de cinzas e a páscoa. Em Anápolis, o lançamento será neste domingo, 17. Este ano, o tema da Campanha da Fraternidade será “Fraternidade e Juventude” e o lema: “Eis-me aqui, envia-me!”.
Para o Bispo Dom João Wilk, a Campanha da Fraternidade irá mobilizar a comunidade católica a trazer uma participação maciça dos jovens na igreja e em seus trabalhos.

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Geral

Força-tarefa para agilizar fila de processos parados

18/05/2017

Imagine que você tenha terreno e recursos para iniciar uma obra, mas esteja impedido de dar prosseguimento por conta da falt...

Força-tarefa para agilizar fila de processos parados

18/05/2017

Imagine que você tenha terreno e recursos para iniciar uma obra, mas esteja impedido de dar prosseguimento por conta da falt...

Convênios públicos têm nova regulamentação

11/05/2017

A Câmara Municipal realizou audiência pública nesta quinta-feira,11, em conjunto com a Prefeitura de Anápolis, para trata...

Corpo encontrado em lago é de empresário anapolino

04/05/2017

Na noite desta quinta-feira, 04, informação colhida pelo Jornal “A Voz de Anápolis”, junto a um irmão de Edmar Almeid...