(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Bandidos roubam veículos para usarem nos assaltos

Violência Comentários 03 de julho de 2015

Dois casos recentes revelaram o novo modo de agir das quadrilhas na Cidade


No final da tarde de terça-feira, 30, dois bandidos chegaram a uma agência lotérica que funciona em um shopping da Vila Jaiara e anunciaram o assalto. A operação durou poucos segundos e os marginais saíram, levando mais de 25 mil reais em espécie. A dupla tomou o rumo da Vila Alexandrina, bairro contíguo à Jaiara. Instantes depois, coincidentemente, passava pelo local uma viatura da Polícia Militar, cujos ocupantes foram alertados sobre o crime que acabara de acontecer. E, sob o comando do Tenente Rodrigues os policiais conseguiram interceptar o carro ocupado pelos assaltantes, identificados, posteriormente, como Lyndon Jones Gomes Peixoto e Ed Júnior Bernardes de Oliveira, ambos de 22 anos. Na fuga, os dois atiraram pela janela do veículo a sacola com o dinheiro e a arma utilizada no assalto. Mas, tudo foi recuperado e os indivíduos autuados em flagrante pela Polícia Civil. Contra ambos pesam várias acusações. O caro que eles utilizavam, um Pálio de cor vermelha, era produto de roubo. Ele fora tomado de assalto de uma senhora que acabava de sair de um culto religioso no Vivian Parque. Ela foi rendida e obrigada a desembarcar do veículo juntamente com amigos da igreja. Os bandidos fugiram no carro e deixaram, no local, uma moto que ocupavam no momento da abordagem, também, produto de furto.


Outro caso


Fato semelhante ocorreu, também, durante prisão de Emilson Cândido da Silva Júnior, o “Juninho” e sua comparsa, Vanessa de Oliveira Santana, velhos conhecidos da polícia. Os dois estavam ocupando um carro FIAT Uno, também tomado de assalto de Gleidson Ferreira da Silva, na noite do dia 25, em plena Avenida Brasil, proximidades do setor de revendedoras de veículos. Na ocasião, Vanessa se postou em frente ao carro, obrigando o condutor a parar. Ato contínuo, Emilson apareceu e obrigou o motorista a passar para o banco traseiro. Ele foi levado para um local ermo, na região da Vila de São Vicente (Igrejinha) e, depois de sofrer agressões físicas por parte de Emilson, foi amarrado a uma cerca e somente horas depois conseguiu se desvencilhar. Levado ao plantão, a vítima não teve dúvidas em reconhecer o casal como o seus agressores. A prisão de “Juninho” e Vanessa aconteceu no Bairro Calixtolândia, proximidades do local onde haviam praticado o assalto e roubado o carro.


O modo de agir de algumas quadrilhas está intrigando os policiais. Além de roubarem os veículos, elas não têm qualquer cuidado em modificar as características dos mesmos. Continuam circulando pela Cidade, praticando crimes sem a menor preocupação. As abordagens acontecem, preferencialmente no período noturno, em diferentes pontos da Cidade e, em horários variados. Segundo a polícia, é importante que as vítimas, ou testemunhas, memorizem as características dos veículos utilizados pelos bandidos, o que facilita as investigações.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Violência

Anápolis aparece em relação das cidades mais violentas do Brasil

09/06/2017

Em 2015, a taxa de homicídios por 100 mil habitantes de Anápolis, ficou em 40,9. Somada às Mortes Violentas com Causa Inde...

Governo diz que Goiás é um dos estados com menor índice criminal

09/06/2017

Os índices de criminalidade em Goiás apresentam queda sequenciada a partir de 2016. Na comparação entre janeiro e maio de...

Judiciário quer ações práticas para reduzir criminalidade em Anápolis

02/06/2017

A busca de soluções para o crescente aumento do índice de criminalidade em Anápolis foi debatida no final da tarde da úl...

Emanuelle Muniz e Emanuelle Ferreira: passageiras da agonia

04/05/2017

Emanuelle Muniz Gomes tinha 21 anos. Era transexual. Bela; extrovertida; meiga, alegre e filha carinhosa. Apesar da pouca ida...