(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Balança comercial goiana registra saldo de mais de US$ 2 bilhões

Economia Comentários 04 de outubro de 2013

Dados apontam que Goiás continua com ritmo acelerado nos negócios internacionais


O secretário de Estado de Indústria e Comércio, Alexandre Baldy, anunciou nesta quinta-feira, 03, os números da balança comercial do Estado de Goiás, relativos a setembro deste ano. O anúncio foi feito à imprensa na sala de reuniões da Federação das Indústrias do Estado de Goiás ( Fieg). Ao lado do secretário estava o presidente da entidade, Pedro Alves de Oliveira, que, após a fala do secretário de estado, discorreu sobre a missão empresarial goiana ao Japão e à Coréia do Sul, da qual também participou Alexandre Baldy.
Em números exatos, Goiás exportou US$ 523.991.196 em setembro deste ano. As importações goianas atingiram pouco mais de US$ 340 milhões, deixando um saldo positivo de US$ 283 milhões. Conforme ressaltou Baldy, esta diferença, altamente significativa entre exportações e importações, deve-se à variação negativa das importações, inibidas que foram pela recente valorização do dólar. Relativa a agosto, as exportações goianas caíram 9%, mas, em compensação, as importações recuaram 21%.
Alexandre Baldy considera esse resultado uma “marca histórica”, ficando batido o recorde anterior, de 2012, quando o saldo da balança atingiu US$ 2,011 bilhões. Segundo a Secretaria de Indústria e Comércio, este ano o Estado já exportou US$ 5,3 milhões, importando US$ 3,3 milhões, o que deixa um saldo positivo superior a US$ 2 bilhões. O secretário distribuiu um relatório detalhado da balança comercial de Goiás, contendo quadros comparativos. Esses números mostram que houve uma forte evolução do saldo positivo da balança em comparação ao mesmo período do ano passado. Entre janeiro e setembro de 2012, o saldo ficou em US$ 1, 4 milhão . O saldo deste ano, de mais de US$ 2 bilhões, representa um salto de quase 60% em relação ao período anterior.
Baldy destacou, ainda, que os saldos da balança comercial goiana, apesar de nossas exportações representarem apenas 3,5% das exportações brasileiras, contribuiu para mitigar o déficit nacional. A importações goianas representam apenas 1,8% das importações brasileiras, número que no ano passado foi maior: 2,4%.
Baldy afirmou que o governo goiano vem envidando esforços para que Goiás consiga, nos próximos anos, diversificar suas exportações. “Estamos trabalhando fortemente para que o nosso Estado se consolide cada vez mais como um centro produtor de manufaturados e semimanufaturados”, declarou. Para tanto, explicou: “Temos desenvolvido uma política de atração de investimentos bastante agressiva e arrojada, que certamente vai ajudar a melhorar os índices da economia goiana”.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Economia

Ministério Público quer implantar nova tecnologia para monitorar os preços dos combustíveis

21/09/2017

O projeto MP de Olho na Bomba, desenvolvido pelo Ministério Público de Goiás em parceria com o governo estadual com o obje...

Preços dos combustíveis variam até mais de 36% nos postos

21/09/2017

O Procon de Anápolis realizou, entre os dias 12 e 14 de setembro, pesquisa para aferir a variação de preços dos combustí...

Balança comercial registra o 44º superávit consecutivo

21/09/2017

O secretário de Desenvolvimento (SED), Francisco Pontes comemorou na última quarta-feira, 13, o resultado da balança comer...

Anápolis é a cidade do Estado com mais vagas de emprego

21/09/2017

O Sistema Nacional de Emprego é uma instituição criada pelo Governo Federal, com objetivo de promover a interação entre ...