(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Balança comercial: Ano começa com fraca movimentação

Economia Comentários 21 de maro de 2014

Apesar do desempenho inferior ao ano passado, município ocupa 38º lugar no ranking nacional de corrente de comércio


O Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, disponibilizou os dados da balança comercial dos municípios. Segundo os números apurados pelo MDIC, em relação a Anápolis, tanto as exportações como as importações, tiveram, no mês de janeiro, um decréscimo na comparação com o mesmo mês do ano de 2013. Os dados de 2014 apontam que as exportações feitas por Anápolis somaram um volume de pouco mais de US$ 3 milhões, enquanto as importações atingiram US$ 208,3 milhões. No ano passado, as exportações renderam US$ 18,1 milhões, com uma queda, na comparação do período, de 83,04%. Já as importações somaram US$ 213,6 milhões em janeiro 2013, com uma queda, no comparativo com o mesmo mês deste ano, de 2,47%.
No ano passado, as exportações alcançaram um volume recorde na série histórica, desde o ano 2000. As exportações feitas por Anápolis chegaram a US$ 271,2 milhões, quebrando a marca que havia sido estabelecida no ano anterior, ou seja, em 2012, quando as exportações bateram US$ 245,7 milhões. O mesmo não ocorreu com as importações, que fecharam 2013 com um volume de US$ 2,316 bilhões, longe da marca histórica que foi estabelecida em 2011, quando as compras internacionais renderam US$ 3,168 bilhões.
No ranking nacional dos municípios, Anápolis ocupa a posição de número 482 entre os maiores exportadores, ficando atrás de 18 outros municípios goianos sendo que, entre eles, a melhor posição é a do Município de Barro Alto, na 76ª posição. Em relação às importações, Anápolis é ocupa a primeira posição em Goiás e a 25ª posição em nível nacional. Quanto a corrente de comércio- soma dos valores das exportações e importações- Anápolis também é a primeira colocada em Goiás e tem a 38ª posição nacional. Em janeiro deste ano, a corrente de comércio, no Município, somou US$ 211,4 milhões. Em janeiro de 2013, o valor apurado foi de US$ 231,8 milhões.
Os principais destinos das mercadorias exportadas por Anápolis são: França (32,39% de participação); China (29,17%); Cuba (13,18%); Hong Kong (12,15%) e Argentina (4,64%). Por blocos econômicos, a ordem de participação é a seguinte: Ásia (42,74%); União Européia (32,53%); Associação Latino Americana de Integração- ALADI (18,36%); África (3,71%) e Oriente Médio (2,03%). Os principais produtos da pauta das exportações feitas por Anápolis, na avaliação de janeiro, são os medicamentos e carnes.
Os principais fornecedores internacionais são a Coréia do Sul (41,94% de participação); Alemanha (33,13%); China (5,96%); Estados Unidos (5,13%) e Índia (3,08%). Por blocos econômicos, em primeiro vem a Ásia (53,37%), seguido por União Europeia (35,17%); Estados Unidos (5,13%); Associação Europeia de Livre Comércio- AELC (3,22%) e Associação Latino Americana de Integraçã- ALADI (0,98%). Os principais produtos importados são os insumos de medicamentos e peças e componentes de veículos.

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Economia

Município cai no ranking goiano de exportações

16/11/2017

Mais de US$ 1,4 bilhão. Este é o valor da corrente de comércio, representada pela soma das exportações e importações f...

Produto Interno Bruto de Goiás registra queda de 4,3% em 2015

16/11/2017

A economia goiana movimentou R$ 173,63 bilhões em 2015, valor R$ 8,62 bilhões acima do registrado no ano anterior (R$ 165,0...

Secretário se compromete a intermediar causas de empresários com a Companhia

09/11/2017

O secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Francisco Pontes, afirmou que vai intermediar um encontro para solucion...

Luta nacional transforma-se em uma “briga” caseira em Goiás

09/11/2017

O Governo de Goiás e o setor produtivo travam uma verdadeira batalha em torno do Decreto 9.075, de 23 de outubro de 2017, as...