(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Bacia do Meia Ponte está sob controle

Geral Comentários 26 de abril de 2018

Medida atende decreto de situação de emergência em APAs


A obrigatoriedade da instalação de hidrômetro e horímetro (totalizador de horas) em todos os empreendimentos que fazem uso de água à montante da captação da Saneago, no Rio Meia Ponte é a principal medida anunciada nesta terça-feira, 24, pela Secretaria de Meio Ambiente (Secima).
A determinação faz parte da Portaria nº 87/2018 publicada no Diário Oficial que atende o decreto de situação de emergência nas bacias do Rio Meia Ponte e Ribeirão João Leite publicado no dia 9 de março deste ano.
De acordo com a portaria todos os proprietários que fazem captação direta, que têm barramento ou as indústrias que utilizam água do rio terão de fazer essa instalação em até 60 dias. “Este ano estamos trabalhando de forma preventiva, com planejamento e estudos para evitar o desabastecimento nos meses de seca”, explicou o secretário Hwaskar Fagundes em entrevista coletiva na Secima.
Ele afirma que a medida ajudará a fiscalizar e monitorar o comportamento do Meia Ponte, “comprovando se os outorgados estão captando apenas o permitido ou se eles estão cometendo alguma irregularidade”, completou.
Segundo o secretário, análises feitas pela Secima e pelo Simego (Sistema de Meteorologia e Hidrologia do Estado de Goiás) indicam a mesma tendência de escassez de chuvas do ano passado. “Com base nisso, identificamos os principais gargalos e já estamos atuando para resolver os problemas”, garantiu.

Barragens
Outra medida determinada pela portaria é que os proprietários de barramentos regularizem as chamadas descargas de fundo para garantir o curso normal da água, com a vazão de saída igual à de entrada. “No ano passado, a Saneago identificou essas barragens e percebeu que o represamento influenciou na vazão do rio”, ressaltou Hwaskar.
“Para nós, essa é uma questão fundamental. Temos de manter a vazão normal e, para isso, todos os barramentos terão de contar com a descarga de fundo para que se libere água o suficiente de forma que o rio siga seu curso”.
No entanto, o secretário alerta que não é possível fazer a obra durante período de cheia, por isso os proprietários deverão fazer alteração neste ano visando 2019. Como ação paliativa, este ano será requisitado que sejam instalados sifões nos barramentos sem descarga de fundo. No total, a bacia do Meia Ponte conta com oito pontos de captação em barramentos e 63 represas acima da captação da Saneago.
Equipes de fiscalização da Secima, em parceria com o Batalhão Ambiental, vão percorrer toda a bacia para garantir o cumprimento das medidas e ainda identificar possíveis captações não autorizadas.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Geral

Núcleo reforça ações de atenção básica

19/07/2018

Que a porta de entrada da saúde pública é o postinho mais perto de casa, muita gente sabe. Mas poucos conhecem um trabalho...

Núcleos de Convivência são entregues à comunidade

19/07/2018

Na última quarta-feira,18, a Prefeitura de Anápolis entregou aos moradores do Residencial Summerville o núcleo do Serviço...

Ministério busca menos acidentes e mortes no trânsito

19/07/2018

O Ministério das Cidades tem atuado de forma estratégica e contínua em todo o país na promoção de políticas públicas ...

SEBRAE oferece oficina sobre Plano de Negócios

19/07/2018

Planejamento. Mesmo que o termo seja discutido como um dos essenciais para se começar com qualquer tipo de negócio, muitos ...