(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Autora de homicídio condenada a 13 anos de prisão

Violência Comentários 28 de novembro de 2014

Assassinato, cometido há sete anos, causou grande comoção em toda a Cidade


O Tribunal do Júri da Comarca de Anápolis condenou a 13 anos de prisão, a estudante de Direito Marielle Cardoso Alcântara, acusada de matar seu, então, namorado Maximiliano Rodrigues Bandeira. O crime aconteceu no interior do Parque “Antônio Marmo Canedo”, (Parque da Matinha), localizado no Bairro Maracanã, no dia 15 de fevereiro de 2007, já no final da tarde e teria sido motivado por questões passionais. Consta dos autos que o namoro entre os dois fora interrompido, com o que a moça, à época, com 23 anos, não concordava. Maximiliano já estaria envolvido amorosamente com outra senhorita. Testemunhas disseram, na ocasião, que Marielle convidou Maximiliano, então com 21 anos, para “uma última conversa”, na residência de amigos comuns dos dois, mas que, depois, o convencera a conversarem a sós e escolheu o Parque. Lá chegando, a autora confessa do crime disse que queria ir ao sanitário, mas, se distanciou do rapaz e, supreendentemente, tirou um revólver da bolsa, com o qual disparou três tiros nas costas dele. Este revólver teria sido comprado, segundo denúncias nos autos, com dinheiro subtraído da empresa onde a autora trabalhava. O crime, à época, causou grande repercussão em Anápolis, devido as famílias de ambos serem muito conhecidas na região.
O julgamento aconteceu durante sessão presidida pela juíza Nathália Bueno Arantes da Costa na segunda-feira, 24. A acusação ficou a cargo dos promotores de Justiça Lucas César da Costa Ferreira e Tiago Santana Gonçalves. A defesa foi representada pelos advogados Eugênio Barbosa Lourenço Dias e Rubens Lélis Ferreira. O Salão do Tribunal de Júri do Fórum Municipal “Doutor João Barbosa das Neves” recebeu um dos maiores públicos dos últimos tempos, tendo em vista a repercussão que o crime alcançou. Na plateia, familiares da acusada e da vítima, além de advogados, acadêmicos de Direito e populares que foram atraídos pelo fato. Os debates foram calorosos e despertaram muitos comentários por parte dos presentes. Não foi informado se alguma das partes irá recorrer da sentença.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Violência

Anápolis aparece em relação das cidades mais violentas do Brasil

09/06/2017

Em 2015, a taxa de homicídios por 100 mil habitantes de Anápolis, ficou em 40,9. Somada às Mortes Violentas com Causa Inde...

Governo diz que Goiás é um dos estados com menor índice criminal

09/06/2017

Os índices de criminalidade em Goiás apresentam queda sequenciada a partir de 2016. Na comparação entre janeiro e maio de...

Judiciário quer ações práticas para reduzir criminalidade em Anápolis

02/06/2017

A busca de soluções para o crescente aumento do índice de criminalidade em Anápolis foi debatida no final da tarde da úl...

Emanuelle Muniz e Emanuelle Ferreira: passageiras da agonia

04/05/2017

Emanuelle Muniz Gomes tinha 21 anos. Era transexual. Bela; extrovertida; meiga, alegre e filha carinhosa. Apesar da pouca ida...