(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Aumento no preço do pão preocupa o setor

Geral Comentários 27 de maro de 2015

Expectativa é que alta chegue até na casa de 12%. A elevação do preço, entretanto, pode reduzir o consumo


O preço do pão francês, o pãozinho nosso de cada dia, pode ter um aumento na casa de 10% a 12% nos próximos dias. Isso porque as empresas do setor estão às voltas com um aumento de cerca de 33% num de seus principais insumos, a farinha de trigo, que é cotada em dólar, além do aumento da energia elétrica, também um componente de custo bastante significativo na formação do preço do produto.
O assunto será discutido na próxima reunião do Sindicato das Indústrias de Alimentação de Anápolis (SindAlimentos), que vai ocorrer no dia 09 de abril próximo. O presidente da entidade, Wilson de Oliveira, ressalta que a situação dos panificadores é difícil, porque não há como não repassar a alta nos custos de produção e, ao mesmo tempo, com o produto mais caro, pode ocorrer a redução no consumo. Wilson de Oliveira destaca que pretende debater o assunto com os empresários e avaliar a situação. Mas, na sua opinião, as panificadoras deve estar empenhadas, cada vez mais, em buscar qualidade e produtividade.
Segundo informou, o SindAlimentos está buscando a adesão dos empresários do setor em Anápolis, ao Programa de Desenvolvimento e Qualificação das Empresas de Panificação, elaborado pelo Instituto Euvaldo Lodi e que tem a participação do Sebrae, subsidiando os custos para os participantes. Ação terá como foco as Boas Práticas de Fabricação, gestão empresarial, qualidade e inovação. “O setor precisa de inovação e buscar ferramentas de competitividade, para um mercado cada vez mais exigente”, sublinhou Wilson de Oliveira, acrescentando que a iniciativa visa oferecer essas ferramentas para as empresas e atende, também, a orientação do Ministério Público, que desde o ano passado vem alertando as panificadoras do Município, para que as mesmas adotem medidas mais rígidas de controle de qualidade dos seus produtos.
De acordo com Wilson de Oliveira, a entidade está plenamente empenhada em atender a orientação do Ministério Público. Porém, é necessário, agora, que as empresas façam a sua parte e participem do programa que está sendo disponibilizado e que é de alto nível, inclusive, é uma ferramenta que pode levar as empresas, futuramente, a se habilitarem a uma certificação ISO.

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Geral

Adoção de selo eletrônico é adiada

22/06/2017

A Secretaria da Fazenda informa que a obrigatoriedade de uso do Selo Fiscal Eletrônico para as embalagens descartáveis de ...

Jovem anapolino abre portas para o difícil universo das fragrâncias

15/06/2017

O jovem anapolino Helder Machado Owner é um exemplo de que o empreendedorismo não tem barreiras. A primeira coisa para aven...

Subseção da OAB entrega Moção a juíza de Anápolis

09/06/2017

A juíza titular da 2ª Vara de Família e Sucessões da comarca de Anápolis, Aline Vieira Tomás, recebeu, na segunda-feira...

Controle da folha de pagamento é um desafio para a Prefeitura

02/06/2017

Dentro do que preconiza a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), o Prefeito Roberto Naves e a equipe econômica apresentaram, ...