(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Atuação da Polícia Civil é tema de encontro

Segurança Comentários 16 de setembro de 2011

Evento realizado na capital, aponta para a necessidade de os governos Federal e estaduais terem políticas públicas permanentes voltadas para este setor


A segurança pública brasileira, em especial a atuação da Polícia Judiciária Civil, está sendo discutida no 2º Encontro Nacional de Chefes de Polícia. O evento ocorre pela primeira vez em Goiânia e teve em sua abertura oficial, no teatro da Unip, com a participação da secretária Nacional da Segurança Pública, Regina Miki, e do governador em exercício José Eliton Figuerêdo Júnior. O Encontro é uma realização do Conselho Nacional de Chefes de Polícia e tem como tema “O Brasil e a Polícia Judiciária do Século 21”.
Durante a solenidade, Miki destacou que a discussão da Lei Orgânica da Polícia Civil é um dos temas mais importantes do evento. E complementou dizendo que também é essencial que haja um financiamento para a área da segurança pública. "Isso é para que não precisemos mais discutir ponto a ponto o que seria o orçamento, e sim ter um orçamento reservado para área da segurança, como temos para saúde e para educação", esclareceu.
“Nós estamos aqui debatendo a segurança pública do Brasil de uma postura crítica, pois a estamos avaliando para a elaboração de um diagnóstico”, explica o presidente do Conselho Nacional de Chefes de Polícia e delegado-geral da PC de Goiás, Edemundo Dias. “É preciso uma reação do governo, principalmente do Governo Federal. Nós estamos apresentando índices aqui catastróficos, índices epidêmicos de violência. E isso não pode ser tributado às instituições policiais apenas. É um problema da sociedade”, comentou.
O Encontro de dois dias, a ser encerrado nesta sexta-feira,16, trouxe para o debate temas como crimes da internet- a lei número 12.403 de 2011, o combate aos cartéis, crimes contra a ordem tributária, menores infratores e a violência sob o aspecto sociológico. O secretário de Segurança Pública e Justiça, João Furtado, ressaltou a importância do evento. “A segurança pública está em pauta no Brasil e, pela primeira vez em muitos anos, a presidenta Dilma anunciou que o Governo Federal terá um plano de segurança. A presença da secretária Regina Miki aqui é importante para este debate prossiga”, afirmou.
Furtado ainda argumentou que a criação deste Plano Nacional de Segurança significa que não só os Estados e municípios estarão às voltas com as questões de segurança pública, mas que o Governo Federal reconhece a necessidade de se ter políticas públicas permanentes nesta área. “Se nós tivéssemos melhor controle das fronteiras brasileiras, e nós sabemos das dificuldades reconhecidas, nós teríamos menos problemas de segurança nos Estados. Se nós não tivéssemos tantas armas e drogas ingressando no Brasil seria mais fácil fazer o enfrentamento da violência”, exemplifica o secretário.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

Baixe o PDF de Edições Anteriores

Arte em Propaganda Arte em Propaganda

+ de Notícias Segurança

Ministério Público cobra investimento no sistema prisional

07/12/2018

O coordenador do Centro de Apoio Operacional Criminal do Ministério Público de Goiás, Luciano Miranda Meireles, juntamente...

Parceria prevê mais 350 câmeras

07/12/2018

A Prefeitura de Anápolis, representada pelo Observatório Municipal de Segurança, e a empresa Enel devem bater o martelo, n...

Milhões de brasileiros são vítimas de fraudes

23/11/2018

Um levantamento da Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil...

Promotor exige lanche noturno para presos

16/11/2018

O Promotor de Justiça Marcelo Celestino instaurou incidente de desvio de execução contra a Diretoria-Geral de Administraç...