(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Arrecadação estadual por Anápolis cresceu 17,79 % no ano passado

Impostos Comentários 25 de janeiro de 2018

Estatística anual mostra que sua receita passou de R$ 218.271 milhões em 2016 para R$ 252.728 milhões em 2017


A arrecadação de tributos e contribuições estaduais na área de atuação da Delegacia Regional de Fiscalização de Anápolis aumentou 15,79% em 2017 no comparativo com o ano anterior. Os números da estatística anual da arrecadação, com dados das receitas do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), Imposto sobre Transmissão Causa Mortis ou Doação (ITCD), Protege e Outras Receitas foram divulgados pelo titular da Delegacia Regional de Fiscalização de Anápolis, Ricardo Batista Dutra.
De acordo com a estatística, no ano, foram arrecadados R$ 252.728 milhões ante R$ 218.271 milhões, o que representa uma receita a maior de R$ 34.456 milhões ou o incremento de receita de 15,79%. “Foi um resultado muito positivo”, avalia o delegado regional Ricardo Batista Dutra, lembrando que o País ainda sente os reflexos da crise, mas que Goiás conseguiu aliviar parte dos problemas que ela vem causando com o bom desempenho de sua arrecadação de tributos e contribuições.
Ele atribui o incremento na arrecadação ao Programa de Negociação Fiscal (Pronef II), que ofereceu 98% de desconto para multas e 50% nos juros para pagamento à vista do ICMS e do ITCD. “Esse programa proporcionou um bom incremento na arrecadação nos últimos cinco meses do ano”, disse o delegado fiscal revelando que a receita de ICMS aumentou 56,65% em agosto, 90,80% em setembro, 62,33% em outubro, 62,96% em novembro e 15,27% em dezembro.
“No ano, arrecadação de ICMS nos municípios sob a jurisdição da Delegacia Regional de Anápolis aumentou 33,08%, comemora Ricardo Dutra revelando que a receita desse imposto passou de R$ 85.573 milhões em 2016 para R$ 113.879 milhões em 2017, o que significou uma arrecadação adicional de R$ 28.305 milhões. Sobre a receita do ITCD, o seu crescimento foi ainda maior, de 51%, passando de R$ 15.606 milhões para R$ 23.565 milhões, representando uma arrecadação a maior de R$ 7.958 milhões.

QUEDA NO IPVA
Apesar de registrar uma boa arrecadação, a estatística da Delegacia Regional de Fiscalização de Anápolis mostra que o IPVA teve uma queda de receita de 2,05%. No ano, foram arrecadados R$ 107.508 milhões contra R$ 109.760 milhões em 2016, o que significou uma queda de receita de 2,251 milhões.
A rubrica Outras Receitas aumentou 40,38%, também de acordo com a estatística da Delegacia Regional. No ano, ela arrecadou R$ 4.398 milhões ante R$ 3.133 em 2017, o que proporcionou um adicional de R$ 1.265 milhões. Mas o maior crescimento ficou com o Protege, um programa de incentivos fiscais do Governo do Estado, que arrecadou, na área de Anápolis, R$ 3.376 milhões, contra R$ 1.747 milhão em 2016, proporcionando uma arrecadação a maior de R$ 1.628 milhão ou um incremento de 93,22%.
Entre os 24 municípios que integram a Regional, a liderança no ranking entre os que mais arrecadaram de ICMS ficou com Anápolis, com R$ 78.283 milhões contra R$ 59.589 milhões em 2016, números que confrontados representam um aumento de 31,37%. Alexânia ficou com a segunda posição com uma arrecadação de R$ 12.770 milhões ante R$ 10.712 milhões em 2016, vindo a seguir Cocalzinho de Goiás, com uma arrecadação de ICMS que passou de R$ 1.705 milhão em 2016 para R$ 7.828 milhões em 2017, com um aumento de receita de 358,93%.
Mesmo com o registro de quedas, outros municípios jurisdicionados à Delegacia Regional de Fiscalização de Anápolis, também, se destacam na arrecadação de ICMS como Abadiânia, onde a receita desse imposto passou de R$ 3.796 milhões para R$ 3.648 milhões, com queda de 3,91%; Silvânia, com 3.336 milhões em 2016 e R$ 3.098 milhões no ano passado, com um recuo de receita de 7,13%; Leopoldo de Bulhões onde a arrecadação de ICMS caiu 19,82% passando de R$ 2.141 milhões para R$ 1.717 milhão; Goianápolis, que teve aumento de receita de ICMS de 162,17% passando de R$ 801 mil para R$ 2.100 milhões e Corumbá de Goiás, onde a arrecadação desse imposto aumentou 168,02% passando de R$ 483 mil para R$ 1.265 milhão.

Autor(a): Ferreira Cunha

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Impostos

Definido o calendário fiscal do Município

10/01/2019

A Prefeitura publicou, no Diário Oficial, o calendário fiscal determinando os limites de vencimento dos tributos, taxas, re...

Proposta quer extinguir 10 tributos como o IOF e a Cofins

13/12/2018

A comissão especial da Câmara dos Deputados aprovou, esta semana, um projeto de reforma tributária que substitui dez dos a...

Anápolis: quinta cidade que mais arrecadou IPTU no Centro Oeste

13/12/2018

Todos os municípios do Centro Oeste, analisados “Multi Cidades - Finanças dos municípios do Brasil”, divulgado pela Fr...

Arrecadação estadual por Anápolis cresceu 17,79 % no ano passado

25/01/2018

A arrecadação de tributos e contribuições estaduais na área de atuação da Delegacia Regional de Fiscalização de Aná...