(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Arrecadação da Delegacia de Anápolis cai 1,45% no semestre

Geral Comentários 05 de agosto de 2016

De janeiro a junho, unidade da Receita Federal na cidade arrecadou R$ 1,719 bilhão, ante R$ 1,744 no mesmo período de 2015, representando uma perda de receita de R$ 25.226 milhões


A arrecadação de tributos e contribuições na área de atuação da Delegacia da Receita Federal de Anápolis caiu 1,45% no primeiro semestre, quando comparada com igual período de 2015, passando de R$ 1.744 bilhão para R$ 1.719 bilhão, o que representa uma perda de receita de R$ 25.2 milhões, conforme relatório da Equipe de Previsão e Análise da Arrecadação.
O documento mostra que, no mesmo período, houve uma queda acentuada da arrecadação fazendária, que passou de R$ 1.039 bilhão de janeiro a junho do ano passado para R$ 953.282 milhões no primeiro semestre deste ano. Neste mesmo período, a perda de receita na arrecadação fazendária foi de R$ 86.103 milhões. Dentre outros tributos, compõem a arrecadação fazendária o Imposto de Renda Pessoa Física e Jurídica, PIS/Pasep,COFINS , Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), Imposto Territorial Rural (ITR), Imposto sobre Exportação (IE) e Imposto sobre Operações Financeiras (IOF).
Em contrapartida, a arrecadação previdenciária aumentou 8,64% no primeiro semestre sobre o mesmo período de 2015, passando de R$ 705.145 milhões para RE$ 766.082 milhões. Este valor, somado à arrecadação fazendária, contribuiu para melhorar o desempenho da Delegacia de Anápolis na arrecadação de tributos e contribuições federais no primeiro semestre deste ano.
Junto com a arrecadação fazendária e previdenciária acumulada, a Equipe de Previsão e Análise da Arrecadação divulgou também os valores arrecadados em junho. No mês, a arrecadação fazendária registrou uma queda de 35,80%, passando de R$ 181.164milhões para R$ 116.312 milhões, o que significa uma perda de receita de R$ 64.852 milhões.
Já a arrecadação previdenciária aumentou 10,74%, passando de R$ 119.763 milhões para R$ 132.622 milhões, ou seja, uma receita adicional de R 12.859 milhões. Juntas, a arrecadação fazendária mais a arrecadação previdenciária proporcionaram em junho uma receita de R$ 248.934 milhões, ante R$ 300.948 no mesmo mês do ano passado, o que representa um recuo de 17,28%, ou uma perda de receita de pouco mais de R$ 52 milhões.
Entre as sete delegacias da Receita Federal que integram a 1ª Região Fiscal, a de Anápolis foi a única que registrou uma arrecadação acumulada negativa no primeiro deste ano, de 1,45%. A liderança no crescimento de receita ficou com a Delegacia de Dourados, cuja arrecadação aumentou 10,81%, seguida pela de Goiânia, que cresceu 6,61% e de Cuiabá, que teve um incremento de 5,66%
A Delegacia de Palmas também teve um crescimento significativo em sua arrecadação, de 5,625, enquanto que as demais apresentaram resultados bem mais baixos. Líder no ranking das unidades da 1ª Região Fiscal que mais arrecadam, a Delegacia de Brasília aumento sua receita em apenas 0,27%, a de Campo Grande, 0,79%.

Autor(a): Ferreira Cunha

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Geral

Anápolis no calendário nacional

14/09/2018

O Comitê Paralímpico Brasileiro promoverá, no dia 22 de setembro o Festival Paralímpico, em celebração ao Dia do Atleta...

Diretor da UniEVANGÉLICA fez parte de juri em concurso na Colômbia

14/09/2018

Na primeira semana de setembro, o Diretor do curso de Arquitetura da UniEVANGÉLICA, Alexandre Ribeiro Gonçalves, esteve na ...

Alimentos foram entregues para as instituições

14/09/2018

Uma iniciativa do prefeito Roberto Naves despertou nos atletas anapolinos o desejo de ajudar ao próximo. É que desde janeir...

Feira acontece no final de semana

14/09/2018

Nos dias 14, 15 e 16 de setembro acontecerá a feira Artesanato em Ação, na Praça Dom Emanuel, Bairro Jundiaí, das 14h à...