(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Arrecadação triplica em 10 anos

Economia Comentários 28 de julho de 2009

Com a economia mais dinâmica e a máquina estatal também mais eficiente, o volume de arrecadação de tributos cresceu vertiginosamente no município na última década


A arrecadação do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias (ICMS) em Anápolis, mais do que triplicou no período de 1998 a 2008, segundo dados da Secretaria de Estado da Fazenda. No ano passado, atingiu a marca recorde de R$ 332,4 milhões. Em 1998, o valor arrecadado do tributo foi de apenas R$ 97,5 milhões. Esses números são importantes porque demonstram o crescimento da atividade produtiva e, também, porque é desse montante recolhido ao Estado, que se constitui o “bolo” que é distribuído aos 246 municípios goianos, a partir da definição do Co-índice.
Numa avaliação superficial dos números, percebe-se que o município tem sido generoso. Ou seja, a sua contribuição é maior do que o retorno. De 2001 a 2008, a arrecadação do ICMS em Anápolis, teve crescimento de 252%. Enquanto que o crescimento na repartição do bolo foi de 209%.
O bom desempenho na arrecadação tem surtido bons efeitos para o Município. Segundo pesquisa feita no site da Secretaria da Fazenda, o Índice de Participação do Município (IPM) de 2009, teve um crescimento em relação a 2008, na ordem de 10,96%. Anápolis que ocupava a quarta posição entre os 246 municípios em relação à participação na divisão do bolo do ICMS arrecadado pelo estado, passou para a terceira colocação.

Receita municipal
A receita municipal também apresenta um quadro de crescimento contínuo no período de 2000 a 2008. O crescimento, no período, foi 442%. Em 2000, as receitas do Tesouro Municipal somaram R$ 92,9 milhões. Já no ano passado, o valor apurado foi de R$ 414,7 milhões. As despesas, em contrapartida, ficaram bem próximas. Em 2000, os gastos do município somaram R$ 86,6 milhões e, no ano passado, R$ 361 milhões.


Arrecadação do ICMS (R$ mil)
2000 - 128.076
2001 - 131.649
2002 - 141.877
2003 - 177.148
2004 - 173.870
2005 - 199.116
2006 - 250.872
2007 - 266.860
2008 - 332.426


Ranking do IPM
1º. Lugar: Goiânia - índice de 19,8 - 1,6% de crescimento
2º. Lugar: Senador Canedo - índice de 5,6 - 2,75% de crescimento
3º. Lugar: Anápolis - índice de 5,4 - crescimento de 10,9%
4º. Lugar: Rio Verde - índice de 5,2 - queda de 0,99%
5º. Lugar: Catalão - índice de 4,3 - crescimento de 12%

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Economia

Município cai no ranking goiano de exportações

16/11/2017

Mais de US$ 1,4 bilhão. Este é o valor da corrente de comércio, representada pela soma das exportações e importações f...

Produto Interno Bruto de Goiás registra queda de 4,3% em 2015

16/11/2017

A economia goiana movimentou R$ 173,63 bilhões em 2015, valor R$ 8,62 bilhões acima do registrado no ano anterior (R$ 165,0...

Secretário se compromete a intermediar causas de empresários com a Companhia

09/11/2017

O secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Francisco Pontes, afirmou que vai intermediar um encontro para solucion...

Luta nacional transforma-se em uma “briga” caseira em Goiás

09/11/2017

O Governo de Goiás e o setor produtivo travam uma verdadeira batalha em torno do Decreto 9.075, de 23 de outubro de 2017, as...