(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

APAE: Assembleia decide, por unanimidade, destituir diretoria

Geral Comentários 24 de maro de 2016

Uma eleição para a escolha da nova diretoria deve acontecer em 30 dias. Ex-presidente disse não aceitar resultado e vai levar o caso para a Justiça


Um dia histórico. Foi assim que centenas de pais comemoraram o resultado da assembleia geral extraordinária que, em votação unânime, na noite da última segunda-feira, 21, destituiu os membros da atual diretoria executiva da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Anápolis. Coincidentemente, na mesma data, se celebrou o Dia Internacional da Síndrome de Down.
A assembleia aconteceu nas dependências da Escola “Maria Montessori”, no setor Bougainville, para onde os pais de alunos e de pacientes assistidos em programas desenvolvidos pela instituição, chegaram de carro ou em ônibus do transporte coletivo. Muitos deles, apesar das dificuldades, fizeram questão de estarem presentes com os filhos, inclusive, crianças de colo.
Cumprindo todo o protocolo do edital de convocação, o motivo da assembleia foi exposto. Na oportunidade, representando os pais, a associada Maria da Penha Lima relatou uma série de acontecimentos ocorridos na APAE, na gestão atual, presidida pela advogada Suelene Rodrigues Ribeiro, apontando, sobretudo, a má gestão de recursos, com o gasto de cerca de R$ 1,5 milhão que teriam sido deixados em caixa na gestão anterior e um saldo negativo que deverá chegar, ao final do ano, na casa de R$ 1 milhão, sem contar o comprometimento de 60% da receita com o gasto em folha de pessoal. Conforme relatou, a atual diretoria promoveu várias dispensas de funcionários, algumas, gerando altos encargos e, por outro lado, contratou mais cerca de 60 pessoas.
Maria da Penha revelou outra preocupação, que diz respeito à falta de pagamento de guias de importação dos insumos para o Teste do Pezinho, principal fonte de recursos do caixa da APAE. A irregularidade neste pagamento poderia levar ao corte de verbas e isso afetaria todo o trabalho desenvolvido pela Associação, podendo, uma vez agravada a situação, até comprometer o seu funcionamento.
Maria da Penha relatou, ainda, no seu pronunciamento, que por várias ocasiões, a presidente vinha tratando de forma ríspida os pais e os funcionários da instituição, inclusive, mediante ameaças. Ela, no entanto, fez questão de ressaltar que não houve nenhuma denúncia de desvio de recursos e que o problema, de fato, é com relação à gestão administrativa da atual diretoria.

Outro lado
A presidente Suelene Ribeiro fez pessoalmente a sua defesa perante a assembleia. Ela começou dizendo que não caiu de paraquedas na APAE e que tem um histórico de serviços prestados. E disse que, por força legal, a associação não pode ser gerida por pais ou, apenas, por funcionários contratados e que a diretoria é composta por pessoas voluntárias.
Suelene Ribeiro disse que não houve prática de desvio de recursos da APAE na sua gestão e que alguns problemas seriam de gestões anteriores. Ela ressaltou que “não fez nada sozinha”, agindo sempre – completou - com a diretoria e a aprovação das contas perante o Conselho Fiscal. “Não omitimos nada, não escondemos nada”, defendeu-se, atribuindo, também, responsabilidades à superintendência e ao setor de RH, no caso citado das contratações. Ela admitiu ter, apenas, uma parente contratada “porque havia vaga”. E, foi mais além, dizendo que outros dirigentes, também, fizeram contratações de parentes. Mas, não citou nenhum nome.
A presidente terminou dizendo que as contas da APAE foram aprovadas, inclusive, com a chancela do Ministério Público, exceto a deste ano que, ainda, se encontra em aberto. E, desafiou o resultado da assembleia, que decidiu, sem nenhum voto contrário, destituir a atual diretoria executiva, dizendo que o problema, agora, “será resolvido nos tribunais”.
Ao final da assembleia, pais, alunos e vários funcionários da instituição celebraram o resultado da assembleia. Ficou decidida na mesma, a escolha de uma comissão provisória, indicada pelo Conselho Geral e uma nova eleição, deverá acontecer em 30 dias para se eleger a nova diretoria executiva.

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Geral

Programa ID Jovem completa primeiro ano de vigência

08/12/2017

A Secretaria Nacional de Juventude comemora os bons resultados do Programa Identidade Jovem. Em 1 ano de vigência da iniciat...

Aumenta para oito anos prisão de bêbado que dirige e mata

08/12/2017

Após cinco anos de espera, o projeto 5568/2013 foi aprovado pela Câmara dos Deputados. A análise ocorreu na sessão desta ...

Pesquisa aponta intenção de compras dos anapolinos

08/12/2017

A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Anápolis acaba de divulgar a pesquisa de intenções de compras do consumidor anap...

Residencial Copacabana recebe plantio de mudas de árvores

08/12/2017

Preservar o meio ambiente e cuidar do planeta. Foi com esta disposição que estudantes do 1º e 2º ano do Ensino Médio do ...