(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Aos 50 anos, dona de casa amamenta o filho e o neto

Geral Comentários 19 de julho de 2014

Após a morte de sua filha, ela passou a cuidar de quatro netos, além de seus três filhos. Ela enfrenta enormes dificuldades


As crianças de dona Marta de Oliveira, de Interlândia - distrito de Anápolis - brincam descalças no fundo do quintal embaixo de árvores frutíferas. Cena rara hoje em dia. Mais raro, ainda, é encontrar uma mulher como ela que, aos 50 anos, cuida de sete crianças, de idade entre nove meses e 14 anos, sendo que quatro delas são de sua filha mais velha que veio a falecer há nove meses.
O que mais comove, além da fé, em Marta, é sua determinação em criar os netos, sem distinção de tratamento, mesmo com a renda mensal de um salário mínimo que seu marido recebe. São filhos dela: André, um ano e seis meses; Liliane, 11 anos; e Viviane, 13 anos. Os netos, deixados pela filha de 28 anos, que morreu por complicações após o parto: João Miguel, nove meses; Valéria, dois anos; Carlos Eduardo, cinco anos; e Jonathan, seis anos.
No total, nove bocas são sustentadas pelo marido de Marta, Francisco de Oliveira, 65 anos, que recebe, apenas, um salário mínimo por mês. É difícil fazer a matemática bater quando se coloca na conta arroz; feijão; carne; leite; pão; produtos de limpeza, ou, fraldas. Enfim, coisas básicas e indispensáveis a uma família. Marta não sabe como conseguem. Na verdade, ela prefere não entrar em detalhes das dificuldades por que passam, mas é nítido que passam por muitas.
E mesmo com tanta dificuldade ela encontra espaço para gratidão. Enquanto amamentava seu filho caçula, André - a quem deu à luz aos 49 anos - ela agradecia a Deus porque, ainda, tem leite para amamentar, também, o neto, João Miguel, de nove meses, que mal conheceu a mãe. O fato de Marta ter dado à luz com quase 50 anos, chama a atenção por não ser muito comum. A literatura médico/obstetra considera isto uma coisa rara, principalmente em termos de América Latina, onde o período de fertilidade das mulheres se encerra bem antes. Outra coisa que surpreende é o fato de ela ter capacidade para amamentar duas crianças simultaneamente: o filho e o neto. Marta, ainda, mencionou, por diversas vezes, o trabalho que o PETI faz com as crianças mais velhas. “Todos eles vão estudar. Eu cuido dos menores pela manhã e limpo a casa à noite. Meus filhos não fazem tarefas domésticas pesadas. A obrigação deles é estudar. Preciso que eles estudem. Quero que sejam pessoas direitas; honestas; humildes e, principalmente, instruídas.”, contou.
Ela não abre mão dessas crianças, por nada. Nem mesmo diante dos diversos obstáculos financeiros e emocionais que enfrenta diariamente. Sem dúvidas, um modelo de mulher de coragem e que carrega um amor incomensurável.
Se alguém tiver interesse em ajudar à família de Marta, eles precisam de móveis, roupas infantis, fraldas, cesta básica, etc.
Contato: (62) 3346 12 68
Endereço: Avenida Bernardo Sayão, n° 165, Interlândia

Autor(a): Wanessa Mereb

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Geral

Construtores vão arrecadar doações

24/11/2017

No início da noite da última terça-feira,21, foi realizada a solenidade de lançamento de mais uma edição do projeto ACA...

Genérico contra o câncer de próstata

24/11/2017

Os pacientes que enfrentam o câncer de próstata poderão contar com mais uma alternativa de tratamento: na próxima segunda...

Médica anapolina no comando de UTI

24/11/2017

A médica Ludhmila Hajjar vai assumir a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Sírio Libanês, em Brasília. Bastant...

Lei institui o programa MP de Olho na Bomba

24/11/2017

Foi publicada no Diário Oficial de Goiás da última terça-feira, 21, a Lei nº 19.888, que aprova o projeto MP de Olho na ...