(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Antônio Gomide tem índice recorde de aprovação popular

Política Comentários 30 de outubro de 2011

Números de pesquisa realizada pelo Instituto Voga mostram que tanto na avaliação pessoal como de sua Administração, o Prefeito conta com aceitação em torno de 80 por cento


O Prefeito Antônio Gomide conta com 80% de aprovação em relação ao seu desempenho no Governo Municipal, passados dois anos e meio do mandato que é de quatro anos. Esse é o resultado de uma pesquisa feita pelo Instituto Voga e cedida com exclusividade para o CONTEXTO. O levantamento aconteceu no período de 04 a 10 de outubro, com 1.000 entrevistados de vários setores da Cidade. A margem de erro informada é de 03.5%.
Os pesquisadores fizeram dois questionamentos aos entrevistados, sendo que, no primeiro, indagaram sobre o desempenho pessoal do Prefeito Antônio Gomide e, no segundo, sobre a avaliação da administração nos dois anos e nove meses de gestão. Em relação ao desempenho pessoal, o quadro geral foi o seguinte: 52,60% dos entrevistados classificaram como “bom”; 27,30% “ótima”; 10,30% “regular”; 08,10% não souberam dizer ou não responderam; 0,9% declararam “ruim” e 0,8% péssima. Somados os resultados “bom” e “ótimo”, Gomide conta com 79,90% de avaliação positiva para o seu desempenho pessoal.
Com relação ao desempenho pessoal de Gomide, a pesquisa aponta que dos 52,60% que consideram “bom”, 48,48% são do sexo masculino e 51,52% do sexo feminino; dentre os 27% que consideram “ótima”, 52,75% são do sexo masculino e 47,25% do sexo feminino. Dos 10,30% que consideram “regular”, 42,72% são do sexo masculino e 57,28% do sexo feminino. Já entre os 0,90% que consideram “ruim”, 44,44% são homens e 55,56% mulheres e, dos consideraram o desempenho de Gomide “péssimo”, 37,50% são do sexo masculino e 62,50% do sexo masculino. Os que não opinaram, ou não souberam responder, somam 8,10%, sendo destes 45,68% homens e 54,32% mulheres.
A pesquisa também traz a avaliação em relação à faixa etária dos entrevistados. Dos 52,60% que consideraram “bom” o desempenho pessoal de Gomide, 49,97 estão na faixa sem rendimento; 49,05% com rendimento de até 01 salário mínimo; 0,95% de 01 a 05 salários mínimos; 0,19% de 05 a 10 salários mínimos e 0,38% acima de 10 salários mínimos. Dos 27,30 que consideraram “ótima”, 34,43% estão na faixa sem rendimento, 57,51% com rendimento de 01 salário mínimo; 1,83% de 01 a 05 salários mínimos; 0,37% de 05 a 10 salários mínimos e 0,73% acima de 10 salários mínimos. Dos 10,30% que consideram regular, 44,66% estão na faixa sem rendimento; 46,60%, com rendimento de até 01 salário mínimo; 0,97% de 01 a 05 salários mínimos e 0% para as faixas de 05 a 10 e acima de 10 salários mínimos. Dos 0,90% que consideram “ruim”, 66,67% estão na faixa sem rendimento; 33,33% na faixa de até 01 salário mínimo. Nas demais, os percentuais foram de 0%. Dos 0,80 que consideram “péssimo” o desempenho pessoal de Gomide, 75% estão na faixa sem rendimento; 25% até 01 salário mínimo e nas demais faixas de rendimento o percentual registrado foi de 0%.
Em relação ao grau de instrução, dos 52,60% que consideraram “bom” o desempenho pessoal de Gomide, 1,52% lê e escreve; 12,36% têm até a 4ª. série do ensino fundamental; 22,62% da 5ª. à 8ª. série do ensino fundamental; 18,63% o ensino médio; 10,65% ensino superior completo e 27,19% ensino superior incompleto. Dos 27,30% que consideram “ótimo”, os percentuais são: 02,20% (lêescreve); 09,16% (até 4ª. série); 20,15% (5ª. a 8ª. série); 16,85% (ensino médio); 11,36% (superior completo) e 32,23% (superior incompleto). Dos 10,30% que consideram regular, a distribuição é a seguinte: 02,91% (lêescreve); 11,65% (até a 4ª. série); 15,53% (5ª. a 8ª. série); 17,48% (ensino médio); 13,59% (superior completo) e 33,01% (superior incompleto). Dos 0,90 que consideram “ruim”: 11,11% (lêescreve); 33.,33% (até 4ª. série); 33,33% 5ª. a 8ª. série); 0,00% (ensino médio); 0,00% (superior completo); 22,22% (superior incompleto). Dos 0,80% que consideram “péssimo”: 0,00% (lêescreve); 25% (até 4ª. série); 12,5% (5ª. a 8ª. série); 25% (ensino médio); 12,5% (superior completo); 25% (superior incompleto).
A última variável, em relação ao desempenho pessoal, levou em consideração a faixa etária. Dos 52,50% que consideraram “bom”, os resultado foram 02,09% (até 17 anos); 06,46% (18 a 24 anos); 07,98% (25 a 34 anos); 13,31% (35 a 44 anos); 20,91% (45 a 59 anos); 22,62% (acima de 60 anos). Para o resultado “ótimo”: 01,83% (até 17 anos); 05,13% (18 a 24 anos); 09,16 % (25 a 34 anos); 10,26% (35 a 44 anos); 18,68% (45 a 59 anos); 27,47% (acima de 60 anos). Dos 10,30% “regular”, teve-se: 0,97% (até 17 anos); 12,62% (18 a 24 anos); 07,77% (25 a 34 anos); 16,50% (35 a 44 anos); 22,33% (45 a 59 anos); 16,50% (acima de 60 anos). Dos 0,90% que consideraram “ruim”: 0,00% (até 17 anos); 0,00% (18 a 24 anos); 33,33% (25 a 34 anos); 0,00% (35 a 44 anos); 11,11% (45 a 49%); 11,11% (acima de 60); e dos 0,80 que consideram péssima: as faixas até 17 anos e 18 a 24, tiveram ) 0,00%; 25% (25 a 34 anos); 12,50% (35 a 44 anos); 0,00% (45 a 59 anos) e 12,50% (acima de 60).

Avaliação da Administração Municipal
A pesquisa sobre a avaliação da Administração teve números bem próximos da avaliação sobre o desempenho geral, sendo que no total, os resultados foram: 48,70% “boa”; 34,30%, “ótima”; 10,80% “regular”; 4,20% “não souberam ou não responderam”; 1,20% “regular” e 0,80 “péssima”.
No extrato de faixa de renda, dos 48,70 que consideram “boa”, 41,07% estão na faixa sem rendimento; 49,69% até 01 salário mínimo; 1,03% de 01 a 05 salários mínimos; 0,21% de 05 a 10 salários mínimos e 0,62% acima de 10 salários mínimos. A distribuição entre os 34,30 que consideram “ótima”, foi: 39,36% (sem rendimento), 53,06% (até 01 salário mínimo); 01,75% (01 a 05 salários mínimos); 0,29% (acima de 10 salários mínimos). Dos 10,80% que consideram “regular”: 44,44% (sem rendimento); 49,07% (até 01 salário mínimo); 0,93% (01 a 05 salários mínimos). Nas faixas de 05 a 10 e acima de 10 salários mínimos, o percentual foi de 0,00%. Já entre os 1,20% que consideram “ruim”: 58,33 (sem rendimento); 33,33% (até 01 salário mínimo) e as demais faixas tiveram percentual de 0,00%. Dos 0,80% que consideram “péssima”: 87,50% (sem rendimento), 12,50% (até 01 salário mínimo) e as demais faixas 0,00%..
Com relação ao grau de instrução, dos 48,70% que consideram “boa” a Administração, tem-se: 01,85% (lêescreve); 13,35% (até a 4ª. série); 20,53% (5ª. a 8ª. série); 18,69% (ensino médio); 10,06% (superior completo) e 27,31% (superior incompleto). Dos 34,30% que assinalaram “ótima”: 01,75% (lêescreve); 07,87% (até a 4ª. série); 21,87% (5ª. a 8ª. série); 16,33% (ensino médio); 12,54% (superior incompleto) e 32,94% (superior completo); Dos 10,80% que opinaram “regular”: 02,78% (lêescreve); 10.19% até a 4ª. série); 17,59% (5ª. a 8ª. série); 18,52% (ensino médio); 14,81% (superior completo) e 27,78% (superior incompleto). Dos 1,20% que responderam “ruim”: 08,33% (lêescreve); 33,33% (até a 4ª. série), 25% (5ª. a 8ª. série); 0,00% para o ensino fundamental e superior completo e 33,33% (superior incompleto). Dos 0,80 que consideram “péssima”: 0,00% (lêescreve); 12,50% (até 4ª. série); 0,00% (5ª. a 8ª. série); 50,00% (ensino médio); 12,50% (superior completo) e 25% (superior incompleto).
No quesito de faixa etária, foram os seguintes resultados na amostra: Dos 48,70% que consideram “boa”: 01,64% (até 17 anos); 06,98% (18 a 24 anos); 08,21% (25 a 34 anos); 13,14% (35 a 44 anos); 20,53% (45 a 59 anos); 22,79% (acima de 60). Entre os 34,30% que responderam “ótima”: 02,04% (até 17 anos); 05,25% (18 a 24 anos); 07,87% (25 a 34 anos); 11,37% (35 a 44 anos); 19,53% (45 a 59 anos); 26,82% (acima de 60). Dos 10,80% que responderam “regular”: 01,85% (até 17 anos); 12,04% (18 a 24 anos); 10,19% (25 a 34 anos); 16,67% (35 a 44 anos); 22,22% (45 a 59 anos); 18,52% (acima de 60). Dos 01,20% que consideram “ruim”: as faixas até 17 anos , de 18 a 24 e de 35 a 44 anos têm índice de 0,00%; 25% (25 a 34 anos); 16,67% (45 a 59 anos) e 08,33% (acima de 60). E, finalmente, dos 0,80% que consideram “péssima”: as faixas de até 17, de 18 a 24 e de 45 a 59 anos têm percentual de 0,00%; 37,50% (25 a 34 anos); 12,50% (35 a 44 anos) e 12,50% (acima de 60).

Nota explicativa
As tabelas, por vezes, poderão fechar em mais (ou menos) de 100% devido ao arredondamento dos números no processamento dos resultados.
Nos cruzamentos devem ser considerados para análise, somente as colunas com números de casos maiores ou iguais a 30, pois percentuais para bases menores que 30 geram interpretações distorcidas dos resultados (Fonte: Instituto Voga)

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Política

Projeto prevê proteção dos direitos da pessoa com autismo

17/04/2019

O Deputado Estadual Amilton Filho (SD) apresentou, na Assembleia Legislativa, Projeto de Lei que institui em Goiás a Políti...

CODEGO promete fazer gestão mais próxima dos empresários do DAIA

17/04/2019

Dezenas de lideranças do setor produtivo e empresários do Distrito Agro Industrial de Anápolis (DAIA) participaram, nesta ...

Decreto do Presidente Jair Bolsonaro muda forma de tratamento entre agentes públicos na esfera federal

17/04/2019

Em decreto publicado na edição 70-A do Diário Oficial da União, edição extra de 11 de abril último, o Presidente Jair ...

Anápolis Gira Cultura chegou aos bairros com uma nova roupagem

13/04/2019

A tarde do sábado, 13 de abril, promete um colorido especial para os moradores do Santos Dumont. O bairro foi escolhido para...