(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Anápolis tem seis mortes associadas à SRAG e Influenza A/H1N1

Saúde Comentários 21 de abril de 2016

Goiânia e Rio Verde estão em situação ainda mais crítica, com relação ao crescimento da Síndrome Respiratória Aguda Grave


O último boletim semanas da Síndrome Respiratória Aguda Grave, emitido pela Secretaria Estadual de Saúde (SES), através da Superintendência de Vigilância em Saúde, aponta que, em Anápolis, de janeiro até o dia 19 último, foram notificados 16 casos de SRAG, com cinco óbitos e mais um óbito confirmado com o tipo Influenza A/H1N1. Em todo o Estado, foram registrados 257 casos de SRAG (131,5% de aumento se comparado ao levantamento do mesmo período do ano passado), com 44 óbitos confirmados (144,4% de aumento em relação a 2015), sendo 69 casos de Influenza A/H1N1, com 10 óbitos confirmados.
De acordo com o boletim da SES, a SRAG é um quadro clínico caracterizado pela síndrome gripal, associada a pelo menos um dos seguintes sintomas: dispneia; saturação de SpO2 < 95% em ar ambiente; desconforto respiratório ou aumento da frequência respiratória; piora nas condições clínicas das doenças de base e hipotensão. Em crianças, também podem ser observados batimentos de asa de nariz, cianose, tiragem intercostal, desidratação e inapetência.
Goiânia é o município com maior número de casos notificados de SRAG, num total de 80, com 07 óbitos já registrados. Os casos de Influenza A/H1N1 na capital somam 26 e dois óbitos confirmados pelas autoridades de saúde. No interior, o Município de Rio Verde é o que apresenta dados mais preocupantes. Foram notificados 32 casos de SRAG e 10 óbitos. Além de 12 casos notificados de Influenza A/H1N1, com três óbitos registrados.

Vacinas
A gerente de Imunizações e Rede de Frio da SES, Clécia Vecci, informou que até o momento já foram enviadas 686 mil doses da vacina para todos os municípios goianos. “Enviamos todas as doses que recebemos do Ministério da Saúde, cerca de 48% de tudo que será enviado até o fim da campanha. A previsão é que o Estado receba mais 25% das doses até o dia 30 de abril e o restante até 15 de maio”, disse.
A vacina contra a gripe é aplicada na rede pública de saúde em pessoas que integram os chamados grupos de risco, formados por: idosos, gestantes, crianças de 6 meses a menos de 5 anos, mulheres que estão na fase de resguardo (45 dias depois do parto), portadores de doenças crônicas, indígenas, população carcerária, profissionais de saúde e adolescentes em cumprimento de medidas socioeducativas. (Com informações da SES/GO)

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Saúde

Projeto atende a quase 800 pacientes que estavam na fila

26/05/2017

Há dois anos, a auxiliar de limpeza, Lídia dos Reis, 38, sentia fortes dores de vesícula. As pedras acumuladas no órgão ...

Dengue recua, mas população não deve baixar a guarda

26/05/2017

Em que pese as estatísticas demonstrem um recuo bastante significativo de casos de dengue em Goiás e, particularmente, em A...

Infectologia tem jornada sábado

18/05/2017

A Sociedade Goiana de infectologia realiza neste sábado, 20, a I Jornana de Infectologia de Anápolis. As palestras têm por...

Como superar o fim de um relacionamento?

27/04/2017

Ter o ‘coração partido‘ é uma das experiências mais traumáticas da vida. No entanto, de acordo com um estudo da Univ...