(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Anápolis pode ter Juizado da Mulher

Judiciário Comentários 22 de junho de 2017

Reivindicação foi tratada com a Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar e Execução Penal


A presidente da Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar e Execução Penal do Estado de Goiás, desembargadora Sandra Teodoro, recebeu, na última segunda-feira,19, uma comitiva de Anápolis, liderada pelo diretor do Foro, Juiz Ricardo Silveira Dourado, com o objetivo de solicitar apoio para a implantação de um Juizado da Mulher na Comarca. A reunião aconteceu na sede do Tribunal de Justiça, em Goiânia.
Participaram do encontro a superintendente executiva dos Direitos Humanos, Onaide Santillo; a diretora da Faculdade Raízes, Kerllen Bonome; o presidente da Associação Educativa Evangélica, Ernei de Oliveira Pina; a vereadora Geli Sanches, representando o Legislativo anapolino.
O diretor do Foro, Ricardo Silveira justifico a reivindicação, ponderando que a mesma “é de primordial importância em razão da violência de gênero, a qual desestrutura as famílias, trazendo prejuízos às mulheres, aos filhos e aos próprios autores”.
A desembargadora Sandra Teodoro comentou a importância da reunião, por fortalecer a rede de proteção da mulher. “Tudo que soma é muito importante, a disponibilidade da faculdade para atender a agredida e o agressor é muito útil e importante”, afirmou a Desembargadora, que acredita ser instalado o Juizado da Mulher na cidade em até dois meses.
O presidente da Associação Educativa Evangélica, Ernei de Pina informou que a Faculdade Raízes, mantida da Associação, já está preparada para receber a unidade da Justiça, com o Juizado da Mulher. Também já está disponível uma equipe de profissionais do Curso Superior de Psicologia, os quais serão responsáveis pelos programas de assistência à família da pessoa agredida e o agressor.
A vereadora Professora Geli Sanches comentou a relevância da luta que se prolonga desde o ano de 2013, para a formalização do juizado especial para a mulher. “É uma solicitação nossa que se iniciou em 2013 e se transformou em um processo no Tribunal, para a criação de uma vara que apura os crimes contra a mulher, agora com a parceria da Faculdade Raízes, Anápolis terá um juizado específico para os casos contra a mulher”, comemorou a vereadora. (Com informações da assessoria da Câmara Municipal e do TJGO)

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Judiciário

Assembleia aprova a criação de novas varas e juizados

03/08/2018

O projeto de lei nº 3280/18, de autoria do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás, foi aprovado em segunda e definitiva vo...

Assembleia vai avaliar mudanças no Judiciário

19/07/2018

A Assembleia Legislativa recebeu na terça-feira, 17, projeto de iniciativa do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás que t...

Homem indenizado por tomar refrigerante com corpo estranho

05/07/2018

O juiz Eduardo Walmory Sanches, da 1ª Vara Cível de Anápolis, condenou a empresa Refresco Bandeirantes Indústria e Comér...

Tribunal de Justiça mantém decisão de reabrir vias no Anápolis City

08/03/2018

A Primeira Turma Julgadora da Primeira Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás negou provimento a um recur...