(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Anápolis na rota do Senado

Política Comentários 05 de fevereiro de 2010

Não está difícil o Município apresentar um (ou mais) candidato ao Senado da República. A cidade tem um histórico positivo nesse sentido


A decisão do ex-prefeito e ex-deputado federal Adhemar Santillo (PMDB) em se colocar como pré-candidato ao Senado da República remete para o passado político do município, enfocando procedimentos iguais, muitos deles resultantes de vitória dos que assim procederam. Em época mais remota, José Lourenço Dias, embora natural de Pirenópolis, fez carreira política em Anápolis e foi guindado ao posto, se tornando, naquela ocasião, em um dos mais influentes políticos da história.
Depois disso, houve um longo hiato, somente quebrado quando das eleições de Onofre Quinan e Henrique Santillo, ambos do PMDB, que passaram oito anos no Congresso Nacional. Isso sem contar a participação de Max Lânio Gonzaga Jaime, primeiro suplente de Iram Saraiva, que também teve a oportunidade de assumir o cargo de senador por um longo período. Igualmente Anápolis pode se inserir como cidade “fornecedora” de candidatos ao Senado, levando-se em consideração que Irapuan Costa Júnior, que representou Goiás na chamada Câmara Alta, iniciou sua carreira política justamente neste município, quando assumiu a Prefeitura como interventor do Estado, depois da cassação de José Batista Júnior, isto em 1973. Da Prefeitura de Anápolis ele assumiu o Governo do Estado, depois a senadoria.
Também foram candidatos a senador representando Anápolis, o advogado Vicente de Paula Alencar (PMDB) e o médico Pedro Canedo (à época no PFL) que obteve expressiva votação, quase chegando a se eleger para o cargo. Isto, sem contar que a ex-primeira dama Sandra Melon, eleita, em 2000, primeira suplente do senador Demóstenes Torres (DEM) tem, hipoteticamente, a oportunidade de assumir o cargo em qualquer eventualidade. Para este ano, além de Adhemar Santillo, fala-se na possibilidade de uma candidatura de Rubens Otoni (PT) que, a princípio seria candidato a Governador, mas que, dentro da composição da base de apoio ao Presidente Lula, poderia optar para concorrer ao Senado.
Em se confirmando, pelo menos em parte, esta possibilidade, Anápolis vai estar, de novo, no foco das decisões políticas em termos da formação de chapas majoritárias. O Município, com mais de 119 mil eleitores teria, hipoteticamente, estrutura e perfil políticos suficientes para buscar esta possibilidade.

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Política

Nova estrutura administrativa entra na pauta de sessão extra na Câmara

17/01/2019

Nesta sexta-feira, 18, a Câmara Municipal se reúne em sessão extraordinária, para a apreciação de 10 projetos que trami...

Mudanças na equipe no início da segunda metade do governo

17/01/2019

Na segunda parte de seu mandato, o Prefeito Roberto Naves está promovendo uma série de mudanças na estrutura da máquina a...

Núcleo de assessoria é a principal novidade da Reforma Administrativa

17/01/2019

Uma das principais mudanças na estrutura da Administração Municipal, a criação de um núcleo composto por seis assessori...

Situação fiscal do Estado provoca embate entre Caiado e Marconi

10/01/2019

A situação fiscal de Goiás tem elevado o tom do debate entre o atual Governador, Ronaldo Caiado (DEM) e o ex-Governador Ma...