(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

“Anápolis é referência em gestão de pessoas”, diz novo secretário

Cidade Comentários 13 de maro de 2015

Rodolfo Valentini Costa assumiu, na segunda-feira, 09, a Secretaria de Gestão de Recursos Humanos. Ele destaca que municípios goianos enviam representantes “buscando informações” em Anápolis sobre como é feito o trabalho juntos aos servidores. E enfatiza que será mantido o diálogo com sindicatos para a continuidade de políticas de valorização dos trabalhadores


Desde o dia 09 de fevereiro, está à frente da Secretaria de Gestão de Recursos Humanos, o servidor Rodolfo Valentini Costa. Ele assumiu o lugar de José Roberto Mazon, que acumulava a pasta com a da Fazenda Municipal. Seu primeiro compromisso oficial foi se reunir com representantes de diversos sindicatos que representam os servidores. O novo secretário destacou importantes conquistas na área de gestão de pessoas na Cidade e indicou como será o trabalho naquela Pasta.
“Desde 2012, Anápolis é referência em gestão de pessoas no Estado de Goiás”, pontua. E, explica que medidas têm sido tomadas para que os servidores tenham seus direitos garantidos e para que seja oferecido, pelo setor público, à população, um serviço que atenda às demandas da comunidade. “Nunca na história do município, Anápolis chegou a este patamar, em nível de recursos humanos. Nos últimos seis anos, não veio nenhuma multa” para a área de recursos humanos, dando a entender que o município cumpre suas obrigações para com os servidores.
Ele destaca que municípios do Estado, como Catalão, enviam representantes para Anápolis, em busca de buscando informações sobre o sistema de gestão de recursos humanos. Muitos, explica, são indicados por técnicos do Tribunal de Contas dos Municípios. “É um avanço e é um referencial para o próprio servidor. É sinal de que o servidor tem sido bem atendido, que essa política de valorização funciona”, explicita, citando a conquista pelos trabalhadores de um plano de saúde (IPASGO), convênios diversos e o estabelecimento, em 2009, do Plano de Carreira do Funcionalismo Público. Ele acrescenta que a sociedade “percebeu melhores serviços que foram entregues a ela”.
Rodolfo Valentini Costa, que, desde 2012, atuava como diretor de Recursos Humanos, informa que “as diretrizes não mudaram”. Ele indica que o Município cumpre seu papel de garantir os direitos dos servidores públicos municipais, mas, entende também que “outras (demandas) vão surgir, porque é o papel do sindicato” cobrar e exigir do Poder Público. Ele defende que, nas concessões de direitos e benefícios aos servidores, haja um “olhar técnico”, de acordo com a Lei. E, esclarece que existe, no Município, uma política de “valorização do servidor, de poder dotar o servidor de instrumentos, de ferramentas para atender melhor à população. Essas são as diretrizes”.
“Buscar chegar a um ponto comum” seria uma das suas missões a frente da Secretaria, além de “verificar aquilo que é possível, aquilo que é necessário”.
Adicional de insalubridade
Algumas categorias de trabalhadores municipais, como os auxiliares de serviços de higiene e alimentação (Ashas) cobram da Prefeitura que foi retirado indevidamente dos vencimentos, o adicional de insalubridade desta e de outras categorias. O adicional é pago a alguns trabalhadores que atuam em locais com exposição a agentes nocivos à saúde. Rodolfo Valentini explica que não houve “nenhuma imposição política (para pagar ou não o adicional a alguns trabalhadores). A decisão da concessão da insalubridade é totalmente técnica, baseada na

Legislação”.
“Não há nenhum tipo de ingerência política”, continua. Ele explica que o trabalho técnico para verificar se um profissional tem ou não direito ao adicional é feito por profissionais capacitados e que “aqueles que têm direito, recebem o adicional de insalubridade na Prefeitura”. Mas, que só terão este aditivo no salário, “aqueles que, dentro da Legislação,” podem recebê-lo. “Injusto seria o contrário. Nós pagarmos um adicional para quem não tem direito, porque quem está pagando é a população”, exclama.
Motoristas
Motoristas da administração centralizada do Município, ligados à Saúde, têm reivindicado que suas horas-extras de trabalho sejam transformadas em gratificação salarial, o que não ocorre atualmente. Eles, também, cobram que suas diárias, no caso de viagens e casos específicos em que o servidor precise ficar fora do perímetro da Cidade por um longo período de tempo, sejam pagas. “Se eles fizeram hora extra, eles têm que receber pela hora extra dele”, indicou o secretário, observando que esta já é uma prática da Prefeitura. Quanto a converter as horas-extras em gratificação, ele informou que esta decisão cabe ao prefeito João Gomes.

Plano
Em vigor desde 2009, o Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos do Município de Anápolis, também, tem sido tema de discussões entre os servidores, sindicatos e a Prefeitura Municipal. Alguns trabalhadores, como aqueles que possuem nível superior, mestrado e outras qualificações, sentem-se desvalorizados. Alterações no índice de reajuste salarial de várias categorias, também, estão entre as cobranças. O secretário pontua que há um “canal de discussão aberto para que se possa chegar a um consenso”. Ele entende que o plano em vigor “supre algumas necessidades, mas a gente tem que avançar. Os avanços têm que acontecer”.
Corte de gastos
O anúncio recente da Prefeitura de que, para o orçamento de 2015, serão cortados 09% das despesas de todos os órgãos da administração direta, fundos e CMTT, deixou servidores temerosos de que direitos dos trabalhadores possam ser retirados. Rodolfo Valentini Costa garante que a informação não procede: “Foi editado um decreto, onde tem que existir uma redução de gastos, mas não há nada, e é importante frisar isso, nada em cima de direitos do servidor”.
“Nós temos que estar dentro da Lei de Responsabilidade Fiscal. Então isso é para atender à Legislação Federal, à Legislação pertinente”, conclui. Ele informou que no dia 18 de março, às 15 horas, será feita uma nova reunião com os sindicatos, em que estes vão apresentar suas demandas e propostas, como alterações no plano de carreira, concessão de benefícios e garantias de direitos.

Autor(a): Felipe Homsi

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Cidade

Anápolis tem novos comendadores

20/07/2017

A Comenda “Gomes de Sousa Ramos”, maior honraria instituída pelo Município, foi entregue a personalidade de diversos se...

Monumentos históricos de Anápolis completam 60 anos

13/07/2017

Ignorados por grande parte da população e, até, pelas autoridades governamentais, dois monumentos que ficam no centro de A...

Câmara Municipal de Anápolis vai ter seu hino oficial em breve

15/06/2017

O vereador Teles Júnior (PMN) informou, durante o uso da tribuna, na sessão ordinária da última segunda-feira,12, que pro...

Presidente da UVG defende 13º e férias para os vereadores

09/06/2017

Em visita à Câmara Municipal de Anápolis, na manhã da última quarta-feira,07, o Presidente da União dos Vereadores de G...