(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Anápolis é o 52º PIB do País

Economia Comentários 16 de dezembro de 2012

É, ainda, o segundo maior gerador de riquezas no Estado de Goiás e o quinto PIB na região Centro-Oeste


Anápolis, entre os 5.565 municípios brasileiros, ocupa o 52º lugar no ranking do Produto Interno Bruto de 2010. Em Goiás, é o segundo maior PIB, ficando atrás, apenas, de Goiânia, a Capital do Estado. Os números foram divulgados na última quarta-feira, 12, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e pelo Instituto Mauro Borges, ligado à Secretaria Estadual de Gestão e Planejamento.
O ranking dos 100 maiores PIBs do País é liderado por São Paulo/SP, Rio de Janeiro/RJ e Brasília/DF. O Estado de Goiás tem, apenas, duas cidades na lista: Goiânia e Anápolis, que aparecem, respectivamente, na 43ª. e na 52ª. Posições, na avaliação em relação ao Valor Adicionado Bruto da indústria. As três primeiras colocações são de São Paulo/SP, Rio de Janeiro/RJ e Manaus/AM. Em relação ao Valor Adicionado dos Serviços, outra variável que compõe o PIB, São Paulo/SP, Rio de Janeiro/RJ e Brasília/DF aparecem novamente à frente. Goiânia ocupa o 15º lugar; Anápolis o 76º lugar e Aparecida de Goiânia, o 84º lugar.
Quanto ao Valor Adicionado da Agropecuária, Anápolis e Goiânia, por não terem uma atividade muito intensa neste setor, estão foram do ranking. Mas, por outro lado, a boa notícia é que o Estado tem 11 municípios entre os 100 listados, inclusive, detém o topo do ranking. São eles: Cristalina (1º); Rio Verde (5º); Jataí (6º); Chapadão do Céu (9º); Ipameri (10º); Mineiros (18º); Morrinhos (61º); Quirinópolis (83º); Montividiu (88º), Caiapônia (89º) e Catalão (93º). Esse “mapa” do PIB reforça a posição de Goiás como uma das principais fronteiras agrícolas do Brasil.
O PIB dos Municípios, divulgado pelo IBGE traz, também, uma variável sobre o Valor Adicionado da Administração, saúde e educação e seguridade social. Nessa avaliação, Goiânia aparece em 14º lugar, Aparecida de Goiânia em 77º lugar e Anápolis em 98º lugar.
Na região Centro-Oeste, entre os 30 maiores municípios em relação ao PIB, Brasília/DF lidera o ranking, com Goiânia em 2º lugar e Anápolis em 5º lugar. Outros municípios goianos que aparecem listados são: Rio Verde (8º); Catalão (9º); Senador Canedo (13º); Itumbiara (15º); Jataí (16º); Luziânia (17º); São Simão (23º), Cristalina (28º) e Mineiros (30º).

Per capita
Apesar da boa colocação no ranking do PIB nacional, tanto Anápolis como Goiânia não figuram entre os 100 municípios brasileiros de maior PIB per capita. Nesta avaliação, Goiás tem cinco cidades listadas: Alto Horizonte (7º); Chapadão do Céu (24º); São Simão (38º), Perolândia (52º) e Cachoeira Dourada (95º).


Anápolis é o segundo maior gerador de riquezas em Goiás
O indicador do Produto Interno Bruto Municipal (PIB) de 2010, divulgado pelo Instituto Mauro Borges (IMB), órgão de pesquisa ligado à Secretaria Estadual de Gestão e Planejamento, aponta Anápolis como o segundo município que mais contribui para a geração de riquezas para o Estado de Goiás. Em primeiro lugar está a capital, Goiânia.
Os 10 maiores municípios em termos de participação no PIB estadual, segundo o IMB, foram: Goiânia (25,1%); Anápolis (10,3%); Aparecida de Goiânia (5,3%); Rio Verde (4,3%); Catalão (4,1%); Senador Canedo (3,3%); Itumbiara (2,3%); Jataí (2,2%), Luziânia (2,1%) e São Simão (1,4%). Estes 10 municípios, juntos, foram responsáveis por 60,3% da renda gerada no Estado.
No caso de Anápolis, o PIB a preços correntes tem um gráfico crescente, tomando-se por base os indicadores divulgados em 2002; 2008, 2009 e 2010. No ano de 2002, a soma de riquezas do município era de R$ 2,151 bilhões; no ano de 2008, R$ 6,262 bilhões; em 2009, R$ 8,109 bilhões e, em 2010, R$ 10,059 bilhões. Desde 2002, Anápolis ocupa a segunda colocação entre os 10 maiores do PIB em Goiás. Neste ano, apenas Goiânia e Anápolis, dentro desse grupo, tiveram elevação na participação do PIB estadual de 2009 para 2010, sendo que, no caso da Capital, ele subiu de 25,0 para 25,1 e Anápolis, de 9,5 para 10,3, portanto, um crescimento substancial e que evidencia a importância econômica do Município.
Em relação ao Valor Adicionado (VA), os dois setores econômicos de maior peso na formação do PIB de Anápolis foram o de serviços (51,1%) e o da indústria (48,0%). Em 2010, conforme o estudo do IMB, teve destaque o desempenho da indústria de transformação, pela maior produção de automóveis; medicamentos; óleos vegetais; ferroligas, máquinas e equipamentos para a agropecuária. “Além de o Município ser grande exportador para o restante do País, é, também, o terceiro maior em população do Estado, possui um perfil industrial diversificado, principalmente no setor farmacêutico, além de sediar várias empresas de logística e do ramo de comércio atacadista”, aponta o Instituto.
Em relação ao PIB per capita, os 10 municípios goianos com melhor desempenho foram: Alto Horizonte; Chapadão do Céu; São Simão; Perolândia; Cachoeira Dourada; Catalão; Porteirão; Turvelândia, Ouvidor e Senador Canedo.

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Economia

Anápolis tem saldo positivo na geração de empregos em outubro

24/11/2017

Anápolis ficou na sexta posição entre os municípios goianos que mais abriram vagas de empregos formais em outubro e mante...

Município cai no ranking goiano de exportações

16/11/2017

Mais de US$ 1,4 bilhão. Este é o valor da corrente de comércio, representada pela soma das exportações e importações f...

Produto Interno Bruto de Goiás registra queda de 4,3% em 2015

16/11/2017

A economia goiana movimentou R$ 173,63 bilhões em 2015, valor R$ 8,62 bilhões acima do registrado no ano anterior (R$ 165,0...

Secretário se compromete a intermediar causas de empresários com a Companhia

09/11/2017

O secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Francisco Pontes, afirmou que vai intermediar um encontro para solucion...