(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Alto custo: Estado destina R$ 5 milhões para medicamentos

Saúde Comentários 13 de maro de 2015

Central de Medicamentos de Alto Custo de Anápolis terá o seu estoque ampliado pela SES


O Governo do Estado vai investir, até o final de 2015, R$ 5 milhões na ampliação da Farmácia de Medicamentos de Alto Custo de Anápolis, que é vinculada à Central de Medicamentos Juarez Barbosa (CMAC). Jacireni de Mello Alves, diretora-geral do Juarez Barbosa, afirma que o dinheiro será usado na compra de drogas novas e na ampliação do estoque de medicamentos – visando atender a demanda crescente da população.
A sede da CMAC em Anápolis funciona desde julho de 2012 e possui, atualmente, 3.672 pacientes cadastrados. Em quase três anos a procura pelo serviço aumentou 117,15%. “O financiamento é feito com recursos da esfera federal e estadual. A única condição para receber o medicamento é que o paciente esteja de acordo com os protocolos clínicos e diretrizes terapêuticas do Ministério da Saúde”, diz Jacireni.
Para saber se o medicamento que a pessoa precisa de tomar está dentro dessa exigência, explica a diretora, é preciso procurar a Regional de Saúde Pireneus (ver endereço abaixo), em Anápolis, que possui corpo técnico formado por médicos, farmacêuticos e dispensadores responsáveis pela triagem.
A Farmácia atende toda a Regional de Saúde Pireneus – que é um braço executivo da Secretaria de Estado da Saúde em Anápolis – e está apta a abrir processos para aquisição de medicamentos, avaliação, autorização e dispensação das fórmulas. Os medicamentos chegam da CMAC de Goiânia duas vezes por mês e atendem a população de 88 municípios vinculados à Regional Pireneus e também a outras Regionais de Saúde.
Fabiana Paniago Gomes Massa, arquiteta, 43, comemora o benefício que recebe mensalmente na unidade em Anápolis. “Eu fiz transplante de fígado em São Paulo e todo mês meu marido tinha de ir à capital paulista para buscar o remédio. Quando descobri o programa, passei a pegar o medicamento em Anápolis. Facilitou muito a minha vida”, diz Fabiana, que utiliza a substância para evitar rejeição do organismo ao órgão transplantado. Ela tinha um tumor no fígado.
Jacireni diz que os medicamentos podem ser fornecidos independentemente do valor e mesmo pacientes que se consultaram na rede particular podem fazer o pedido na Regional. “O interessado deve pegar a receita ou o relatório médico com o princípio ativo do medicamento, o nome da doença ou a Classificação Internacional de Doenças (CID). Não é necessário comprovar renda”, conta.
Os medicamentos mais procurados hoje em Anápolis na Regional são para tratamento de artrite reumatóide, esquizofrenia e para atender renais crônicos. O valor dos itens dispensados podem variar de R$ 3,00 até R$ 8.100,00.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Saúde

Combate à “farra” dos cartões do SUS

17/01/2019

O Prefeito Roberto Naves anunciou que deverá enviar uma equipe técnica para conhecer o modelo de gestão de uma espécie de...

Secretário Municipal de Saúde faz “raio-x” nas unidades ligadas ao setor

17/01/2019

Avaliar de perto a realidade de cada uma das unidades da rede municipal e fiscalizar a prestação de serviços ao cidadão. ...

Crise na Saúde - Municípios estão em dificuldades sem os repasses do Estado

10/01/2019

De acordo com o Atlas da Eficiência da Educação (versão 2018) em Goiás, a gestão da educação em 213 municípios (93% ...

Verba para equipamentos na odontologia municipal

10/01/2019

Devido ao trabalho executado na área de saúde bucal, inclusive com a criação de 12 novas equipes em dois anos, a Prefeitu...