(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Alcides: PSDB fora dos planos para 2010

Política Comentários 27 de novembro de 2009

Governador demonstra sinais de rompimento total com os tucanos, depois de uma longa convivência


O governador Alcides Rodrigues, durante sua visita a Anápolis na noite da última quarta-feira, 25, descartou qualquer possibilidade de o PSDB ser incluído nas conversas para a articulação do bloco político que vem sendo costurado pelo seu partido, o PP, juntamente com o DEM, PR, PSB e PTN, como alternativa a uma possível polarização entre o senador tucano Marconi Perillo e o prefeito de Goiânia, Iris Rezende, do PMDB.
Alcides Rodrigues não quis polemizar, ao ser questionado sobre o assunto pela imprensa local. Justificou, apenas, que essa decisão foi tomada em razão de o PSDB ter movido ações contra ele próprio, o presidente Lula e o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles por haverem participado de eventos em Anápolis e em Goiânia, no dia 13 de agosto passado. “Sentimos-nos atingidos”, ressaltou.
O Governador, também, não descartou a possibilidade de o PP ser cabeça de chapa da aliança. Mas, não deu pista de nenhum nome. Afirmou que se o PP não tiver candidato próprio, apóia outros nomes da coligação. Da mesma forma, não sinalizou a quem daria o apoio. A idéia é amadurecer o assunto até fevereiro ou março do ano que vem. Até lá, a sucessão estadual segue como está: sem maiores novidades. E aguardando a movimentação do presidente do Banco Central, Henrique Meirelles.
De outra ponta, o deputado Rubens Otoni, do PT, não tem dispensado elogios ao governador Alcides Rodrigues, que, segundo ele, tem sido um grande parceiro de Anápolis, na administração de seu irmão, o também petista Antônio Gomide. Obviamente que o bom relacionamento administrativo é sempre uma via larga para o entendimento político. Além do que, Alcides Rodrigues tem, também, buscado proximidade com o Palácio do Planalto, sabendo que o presidente Lula acompanha com grande interesse a política goiana.
As declarações de Alcides Rodrigues, entretanto, vieram confirmar o que muita gente já sabia: a Base Aliada (coligação que elegeu Marconi Perillo duas vezes e Alcides Rodrigues uma vez), de fato, desintegrou. Pelo menos, é o que parece. Como “muita água ainda vai passar por debaixo da ponte”, surpresas podem acontecer. E o eleitor precisa se acostumar com o fato de que política não é uma ciência exata como a matemática. Ela é abstrata, como a filosofia. Há, sempre, uma interrogação e um novo caminho a ser percorrido.

Autor(a): Nilton Pereira

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Política

Nova estrutura administrativa entra na pauta de sessão extra na Câmara

17/01/2019

Nesta sexta-feira, 18, a Câmara Municipal se reúne em sessão extraordinária, para a apreciação de 10 projetos que trami...

Mudanças na equipe no início da segunda metade do governo

17/01/2019

Na segunda parte de seu mandato, o Prefeito Roberto Naves está promovendo uma série de mudanças na estrutura da máquina a...

Núcleo de assessoria é a principal novidade da Reforma Administrativa

17/01/2019

Uma das principais mudanças na estrutura da Administração Municipal, a criação de um núcleo composto por seis assessori...

Situação fiscal do Estado provoca embate entre Caiado e Marconi

10/01/2019

A situação fiscal de Goiás tem elevado o tom do debate entre o atual Governador, Ronaldo Caiado (DEM) e o ex-Governador Ma...