(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Água: Obra de R$ 63 milhões vai garantir abastecimento 100%

Cidade Comentários 06 de setembro de 2009

Contrato foi assinado em Brasília pelo prefeito Antonio Gomide e o Ministro Marcio Fortes e faz parte do PAC Saneamento: licitação será feita pela própria administração


Antônio Gomide insistiu em fugir das promessas de campanha. Adotando um discurso cauteloso desde os tempos de início de campanha, o atual prefeito de Anápolis, quando ainda candidato, preferia dizer que fazia compromissos com a cidade e não exatamente promessas aos seus eleitores. Como promessas ou compromissos de obras a serem realizadas, o fato é que o petista foi eleito e em sua plataforma de governo estava a intervenção na realidade de abastecimento de água da cidade.
Oito meses depois de sua posse, Gomide já poderá dizer que cumpriu sua primeira promessa: levar o abastecimento de água para toda a cidade de Anápolis. Isto porque na manhã da última quarta-feira, o prefeito esteve em Brasília e assinou o contrato que firma parceria com o Ministério das Cidades, visando uma série de benfeitorias na área de saneamento. O resultado disto já é sabido: 100% de abastecimento de água em Anápolis.
O evento, celebrado por mais 87 municípios da União, aconteceu no Palácio do Itamaraty e contou com a presença de diversos governadores, o ministro Márcio Fortes, das Cidades, e ainda a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Houssef. Do Estado de Goiás, além de Anápolis, somente foram escolhidas para a parceria a capital e a cidade de Aparecida de Goiás.
O valor total do conjunto de obras a serem realizados em Goiás é de R$ 199,2 milhões. Em Anápolis soma R$ 63.805.154,33. Este investimento irá garantir, de acordo com os projetos já apresentados pelo município e previamente aprovados pelo Governo Federal, através do Ministério das Cidades, a ampliação do sistema de abastecimento de água, 15,7 quilômetros de redes adutoras de água brutas, 9,9 quilômetros de redes adutoras de água tratada e, ainda, a ampliação da Estação de Tratamento de água e demais reservatórios.
Uma das particularidades do contrato assinado entre a Prefeitura de Anápolis e o Ministério das Cidades é que a licitação das obras será coordenada de forma direta, ou seja, pelo próprio município. Desta forma, reduz-se a carga burocrática, eliminando morosidades previstas em outras modalidades, fazendo com que as obras ganhem em celeridade.

Problema histórico
Para o prefeito Antônio Gomide, a sensação ao assinar o contrato que firmou a parceria entre município e governo federal é de dever cumprido. “São diversas impressões positivas. A primeira delas, claro, é poder sanear um problema histórico e que há muito tempo incomoda nossa população: a falta de água”, explica Gomide, referindo-se a um anseio crítico de parte da população, sobretudo aquelas que vivem em regiões mais altas da cidade e que sofrem, no auge de períodos de seca, com a falta ou a dificuldade no abastecimento.
“Depois disto”, prossegue o prefeito, “é ver nossos projetos sendo aprovados, passando pelo rigor do Governo Federal. Isto nos dá uma prova de lisura, de competência na execução do projeto e aumenta nossa confiança em realizar mais prospecções e parceria neste âmbito”, esclarece. De todas as cidades, somente Goiânia, Aparecida e Anápolis foram aceitas no Estado.

Respeito
Durante o discurso, Dilma defendeu que o PAC não é apenas um programa de infraestrutura, mas também de inclusão social. "O Programa de Aceleração do Crescimento é um fator de inclusão social, porque investir em infraestrutura é investir em distribuição de renda e também em qualidade de vida generalizada para todos os brasileiros, independente da classe social."
"Respeitar a água é respeitar os mananciais e o meio ambiente", declarou Dilma, que qualificou o programa de obras como "um plano de respeito à água e à população do país". Segundo a ministra, as deficiências no Brasil na área de saneamento "comprometem o desenvolvimento sustentável", que será a premissa nestas obras, com o objetivo de "fornecer água de qualidade ao povo", com "o devido tratamento".


PAC Saneamento – Anápolis
Investimento total em Goiás: R$ 199,2 milhões

Investimento para Anápolis: R$ 63.805.154,33
Investimento gov. Federal: R$ 57.424.638,91
Investimento fundo municipal: R$ 6.380.515,42

Descrição do Projeto:
Ampliação do sistema de abastecimento de água;
15,7 quilômetros de redes adutoras de água brutas;
9,9 quilômetros de redes adutoras de água tratada;
Ampliação da Estação de Tratamento de Água;
Ampliação e construção de Reservatórios.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Cidade

Anápolis tem novos comendadores

20/07/2017

A Comenda “Gomes de Sousa Ramos”, maior honraria instituída pelo Município, foi entregue a personalidade de diversos se...

Monumentos históricos de Anápolis completam 60 anos

13/07/2017

Ignorados por grande parte da população e, até, pelas autoridades governamentais, dois monumentos que ficam no centro de A...

Câmara Municipal de Anápolis vai ter seu hino oficial em breve

15/06/2017

O vereador Teles Júnior (PMN) informou, durante o uso da tribuna, na sessão ordinária da última segunda-feira,12, que pro...

Presidente da UVG defende 13º e férias para os vereadores

09/06/2017

Em visita à Câmara Municipal de Anápolis, na manhã da última quarta-feira,07, o Presidente da União dos Vereadores de G...