(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Água: Obra de R$ 63 milhões vai garantir abastecimento 100%

Cidade Comentários 06 de setembro de 2009

Contrato foi assinado em Brasília pelo prefeito Antonio Gomide e o Ministro Marcio Fortes e faz parte do PAC Saneamento: licitação será feita pela própria administração


Antônio Gomide insistiu em fugir das promessas de campanha. Adotando um discurso cauteloso desde os tempos de início de campanha, o atual prefeito de Anápolis, quando ainda candidato, preferia dizer que fazia compromissos com a cidade e não exatamente promessas aos seus eleitores. Como promessas ou compromissos de obras a serem realizadas, o fato é que o petista foi eleito e em sua plataforma de governo estava a intervenção na realidade de abastecimento de água da cidade.
Oito meses depois de sua posse, Gomide já poderá dizer que cumpriu sua primeira promessa: levar o abastecimento de água para toda a cidade de Anápolis. Isto porque na manhã da última quarta-feira, o prefeito esteve em Brasília e assinou o contrato que firma parceria com o Ministério das Cidades, visando uma série de benfeitorias na área de saneamento. O resultado disto já é sabido: 100% de abastecimento de água em Anápolis.
O evento, celebrado por mais 87 municípios da União, aconteceu no Palácio do Itamaraty e contou com a presença de diversos governadores, o ministro Márcio Fortes, das Cidades, e ainda a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Houssef. Do Estado de Goiás, além de Anápolis, somente foram escolhidas para a parceria a capital e a cidade de Aparecida de Goiás.
O valor total do conjunto de obras a serem realizados em Goiás é de R$ 199,2 milhões. Em Anápolis soma R$ 63.805.154,33. Este investimento irá garantir, de acordo com os projetos já apresentados pelo município e previamente aprovados pelo Governo Federal, através do Ministério das Cidades, a ampliação do sistema de abastecimento de água, 15,7 quilômetros de redes adutoras de água brutas, 9,9 quilômetros de redes adutoras de água tratada e, ainda, a ampliação da Estação de Tratamento de água e demais reservatórios.
Uma das particularidades do contrato assinado entre a Prefeitura de Anápolis e o Ministério das Cidades é que a licitação das obras será coordenada de forma direta, ou seja, pelo próprio município. Desta forma, reduz-se a carga burocrática, eliminando morosidades previstas em outras modalidades, fazendo com que as obras ganhem em celeridade.

Problema histórico
Para o prefeito Antônio Gomide, a sensação ao assinar o contrato que firmou a parceria entre município e governo federal é de dever cumprido. “São diversas impressões positivas. A primeira delas, claro, é poder sanear um problema histórico e que há muito tempo incomoda nossa população: a falta de água”, explica Gomide, referindo-se a um anseio crítico de parte da população, sobretudo aquelas que vivem em regiões mais altas da cidade e que sofrem, no auge de períodos de seca, com a falta ou a dificuldade no abastecimento.
“Depois disto”, prossegue o prefeito, “é ver nossos projetos sendo aprovados, passando pelo rigor do Governo Federal. Isto nos dá uma prova de lisura, de competência na execução do projeto e aumenta nossa confiança em realizar mais prospecções e parceria neste âmbito”, esclarece. De todas as cidades, somente Goiânia, Aparecida e Anápolis foram aceitas no Estado.

Respeito
Durante o discurso, Dilma defendeu que o PAC não é apenas um programa de infraestrutura, mas também de inclusão social. "O Programa de Aceleração do Crescimento é um fator de inclusão social, porque investir em infraestrutura é investir em distribuição de renda e também em qualidade de vida generalizada para todos os brasileiros, independente da classe social."
"Respeitar a água é respeitar os mananciais e o meio ambiente", declarou Dilma, que qualificou o programa de obras como "um plano de respeito à água e à população do país". Segundo a ministra, as deficiências no Brasil na área de saneamento "comprometem o desenvolvimento sustentável", que será a premissa nestas obras, com o objetivo de "fornecer água de qualidade ao povo", com "o devido tratamento".


PAC Saneamento – Anápolis
Investimento total em Goiás: R$ 199,2 milhões

Investimento para Anápolis: R$ 63.805.154,33
Investimento gov. Federal: R$ 57.424.638,91
Investimento fundo municipal: R$ 6.380.515,42

Descrição do Projeto:
Ampliação do sistema de abastecimento de água;
15,7 quilômetros de redes adutoras de água brutas;
9,9 quilômetros de redes adutoras de água tratada;
Ampliação da Estação de Tratamento de Água;
Ampliação e construção de Reservatórios.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Cidade

Oposição e situação criam embate por situação do PETI

19/04/2017

Ao usar a tribuna na sessão de quarta-feira ,19, o vereador Antônio Gomide (PT) falou sobre a necessidade de a gestão muni...

Caixa equilibrado foi a maior conquista, avalia Roberto Naves

12/04/2017

Numa entrevista coletiva, com a presença de quase todos os membros de seu secretariado e de vários vereadores, o Prefeito R...

Prefeitura anuncia revitalização do Mercado Municipal em curto prazo

07/04/2017

O Mercado Municipal “Carlos de Pina” é um dos principais pontos turísticos da cidade e também um local tradicional de ...

Alvará de funcionamento terá rigorosa fiscalização na Cidade

23/03/2017

A Divisão de Fiscalização e Posturas vai desencadear, no início de abril, uma intensa e rigorosa fiscalização em todos ...