(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Agetop admite atraso em obra do Presídio de Anápolis

Segurança Comentários 12 de junho de 2015

Problema foi debatido numa reunião do Ministério Público Estadual, que quer uma ação mais célere para o término das obras de ampliação do sistema prisional em Goiás


O presidente da Agência Goiana de Transportes e Obras, Jaime Rincon, reuniu-se na última segunda-feira,09, com membros do Ministério Público Estadual (MP-GO) e Federal (MPF) para tratar do andamento das obras dos presídios regionais que estão sendo construídos no Entorno do Distrito Federal (Águas Lindas de Goiás, Novo Gama e Formosa) e em Anápolis. De acordo com Rincon e o diretor de obras civis da Agetop, Luiz Antônio de Paula, será necessária a suplementação do contrato da unidade de Anápolis, estando ainda pendente a obtenção de alguns documentos para esta providência. No entanto, é a obra mais adiantada, com mais de 80% da unidade concluída. Em relação aos outros presídios, eles ponderaram que o órgão tem acompanhado e fiscalizado a execução dos contratos.


Participaram da reunião o procurador-geral de Justiça, Lauro Machado Nogueira, o coordenador do Projeto do Entorno do DF do MP-GO, Bernardo Boclin Borges; o coordenador do Centro de Apoio Operacional Criminal, Vinícius Marçal, além do procurador da República Ailton Benedito.


No encontro, o presidente da Agetop também garantiu que um representante do órgão será designado para participar das reuniões periódicas que o MP-GO e o MPF têm realizado para o acompanhamento da evolução das obras.


 


Verbas


As unidades estão sendo executadas, em parte, com verbas federais repassadas pelo Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci), de iniciativa do Ministério da Justiça. O Pronasci foi desenvolvido pelo Ministério da Justiça, a partir de 2008, para enfrentar e diminuir a criminalidade nas áreas metropolitanas mais violentas do Brasil. Pelo programa, entre outros eixos de atuação, a União investiria na modernização e na reestruturação do sistema penitenciário nacional. Contudo, em todo o Brasil houve dificuldades para a aplicação destes recursos. Apesar dos atrasos, o Estado de Goiás, em decorrência da forma de atuação do Ministério Público, está sendo o primeiro Estado a construir os presídios para jovens e adultos com verbas federais do Pronasci. (Com informações da Assessoria de Comunicação Social do MP-GO)

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Segurança

Comitiva do Ministério da Ciência e Tecnologia visita a ALA 2

12/10/2017

Na última terça-feira,11, uma comitiva do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) visitou...

Implantação do Polo de Defesa poderá ter linha de crédito federal

12/10/2017

Resultado da reunião ocorrida na última terça-feira, 10, com o ministro da Defesa, Raul Jungmann, o projeto de implantaç...

Fugas expõem fragilidade na segurança da Cadeia Pública

06/10/2017

No domingo, primeiro de outubro, quatro presos conseguiram escapar do Centro de Inserção Social “Monsenhor Luiz Ilc” ap...

ALA 2 começa a se preparar para receber os primeiros caças Gripen

08/09/2017

Denominada de Base Aérea de Anápolis até dezembro do ano passado e, a partir de então, de ALA 2, a unidade local da Forç...