(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Adolescentes internos do CASE fizeram provas do ENEM

Educação Comentários 13 de dezembro de 2018

Seis adolescentes em Anápolis, participaram do certame


Os adolescentes que cumprem medidas socioeducativas de internação no Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) de Anápolis participaram do Exame Nacional do Ensino Médio – Enem. Seis adolescentes foram inscritos e fizeram as provas dentro da unidade conforme regras que já foram aplicadas aos alunos da rede de ensino regular.
O exame foi realizado em todo o país apenas com pessoas submetidas a penas privativas de liberdade e jovens sob medida socioeducativa que inclua privação de liberdade. Os resultados obtidos por cada participante poderão ser utilizados para certificação de estudos no nível de conclusão do ensino médio e ainda como mecanismo de acesso à educação superior.
A coordenadora pedagógica do Case de Anápolis, Ana Alice Cunha, acompanha os adolescentes nas atividades da escola que funciona dentro do Case, uma extensão do Centro de Estudos Supletivos Elias Chadud, localizado em Anápolis. “Acredito muito no potencial desses adolescentes e é importante perceber que eles estão em busca de um novo caminho e pensando num futuro além dos muros do Case. O Enem é um direito e é nossa responsabilidade garantir que eles façam as provas para buscar uma nova oportunidade e mudar de vida”, ressalta.
No primeiro dia do Exame, na terça-feira, 11, foram aplicadas as provas de linguagens, redação e ciências humanas. A aplicação da prova durou cinco horas e 30 minutos. No segundo dia, quarta-feira, 12, foram aplicadas as provas de ciências da natureza e matemática, com prazo de cinco horas de duração.

Ensino superior
Os adolescentes, desde que tenham bom desempenho, poderão inscrever-se no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e concorrer a uma vaga nas universidades federais brasileiras; inscrever-se no Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec), concorrer a uma vaga gratuita no ensino técnico, se inscrever no Programa Universidade para Todos (Prouni) para concorrer a uma bolsa de estudos numa instituição de ensino superior privada e para obter financiamento pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).
“Eu consegui graças a Deus recuperar o tempo perdido com a ajuda do EJA [Educação de Jovens e Adultos] e hoje estou me preparando para fazer o Enem. Lá atrás eu já tinha desistido de realizar o meu sonho, que é ser agrônomo, mas eu desisti porque as pessoas não acreditavam em mim. Depois que fui apreendido, descobri que ainda tem quem acredita em mim e também que eu preciso acreditar em mim. Por isso aqui estou, estudando e me preparando para entrar numa faculdade porque sempre sonhei em ser agrônomo e eu vou ser”, assegura o adolescente Paulo*, que fez a prova do Enem. (* Nome fictício em atendimento ao Estatuto da Criança e do Adolescente)


Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Educação

Acadêmicos da UniEVANGÉLICA fazem ato alertando sobre a questão do suicídio

25/04/2019

Foi apenas um abraço simbólico, mas por trás de todas aquelas mãos dadas, estava uma comunidade inteira pedindo ajuda. A ...

Controladoria divulga inspeção sobre o Pronatec/Universidade Estadual de Goiás

25/04/2019

A Controladoria Geral do Estado de Goiás tornou público o Boletim de Inspeção que trata de possíveis irregularidades na ...

Associação Educativa Evangélica celebra 58 anos do Instituto Superior de Educação

17/04/2019

Uma instituição que contribui para o ensino da Pedagogia com excelência. Assim pode ser definido o Instituto Superior de E...

Alunos promovem paralisação na UEG

13/04/2019

Os alunos da Universidade Estadual de Goiás – Campus Anápolis de Ciências Exatas e Tecnológicas – “Henrique Santill...