(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Aché compra 50% do laboratório Melcon

Geral Comentários 26 de novembro de 2010

Terceiro grande negócio no segmento farmacêutico aponta interesse de grandes grupos em expandir suas atividades em plantas de médio porte no interior do País


O segmento da indústria farmacêutica em Anápolis continua em ebulição com a chegada de grandes nomes do setor nos cenários nacional e internacional. Há quase um ano, em dezembro de 2009, era anunciada a compra do Laboratório Neo Química pelo Grupo Hypermarcas, negócio estimado em cerca de R$ 1,3 bilhão. Era o sinal de que grandes empresas estariam interessadas em expandir suas plantas, especialmente, para atenderem a novas demandas de mercado, inclusive, com o fim do período de patentes de medicamentos de renome. Além, ainda, de reforçar a posição no mercado de genéricos que vem crescendo, a cada ano, no País.
No mês de outubro passado, foi divulgada outra grande transação no setor. A Pfizer adquiriu 40% da companhia de genéricos do Laboratório Teuto Brasileiro. Segundo o que foi anunciado à época, com essa fusão, o Teuto poderá lançar genéricos dos produtos Pfizer. Esta, por sua vez, poderá utilizar produtos do Teuto em sua Unidade de Negócios Produtos Estabelecidos. A Pfizer ficou de avaliar o resultado do acordo e já antecipou a possibilidade de adquirir 100% do Teuto a partir de 2014.
Agora, a mais recente notícia é que o laboratório Aché, considerada a terceira maior empresa farmacêutica nacional, comprou 50% do laboratório Melcon, que a exemplo do Teuto e do Neo Química, está instalado no Distrito Agro Industrial. A informação foi dada pelo jornal “Valor Econômico”, uma das publicações de economia mais influentes do País, e postada no site do Aché. Conforme foi divulgado, o laboratório pretende, com esta aquisição, entrar no disputado mercado de hormônios, em franco crescimento dentro o fora do Brasil. O jornal destaca, ainda, que o Aché “faz parte do seleto grupo de empresas do setor que decidiu voltar seus investimentos para o território goiano”. Além disso, outra intenção seria entrar na produção de medicamentos oncológicos.

Mão-de-obra
Essa movimentação, no entanto, tem trazido preocupação para o segmento. O presidente do Sindicato das Indústrias Farmacêuticas no Estado de Goiás (Sindifargo), Marçal Henrique Soares, reuniu-se, há poucos dias, com o superintendente do SESISENAI, Paulo Vargas; com o vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), Wilson de Oliveira; e com os secretários municipais Mozart Soares Filho (Desenvolvimento Econômico) e Francisco Rosa (Desenvolvimento Social). Em pauta, a necessidade de se oferecer uma qualificação mínima para os cerca de 1.500 trabalhadores que deverão ser absorvidos pelos laboratórios goianos a partir do primeiro trimestre de 2011.
Segundo Marçal Soares, só Anápolis deve abrir em torno de 1.200 vagas. Mas é preciso que esse contingente tenha um preparo inicial, que depois deverá ser complementado com treinamentos específicos nas próprias indústrias. O problema, diz ele, é a corrida contra o relógio. Daí, a necessidade de se unirem esforços para a viabilização dos cursos antes de serem abertas, efetivamente, as contratações.

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Geral

Prefeitura quer novas regras para a exploração do serviço funerário

27/04/2017

A Prefeitura de Anápolis vai criar novas regras para a exploração do serviço funerário. As atuais são consideradas obso...

Membros do Conselho da Juventude empossados em concorrida solenidade

27/04/2017

Aconteceu na manhã da última terça-feira, 25, no miniauditório da Prefeitura de Anápolis, a posse dos membros do Conselh...

Município quita dívidas trabalhistas de ex-servidores comissionados

19/04/2017

A Prefeitura de Anápolis começa a quitar dívidas trabalhistas do município, que estão pendentes desde 2011, para ex-serv...

Ovos de chocolate com diferenças salgadas, aponta pesquisa do Procon

12/04/2017

O Procon de Anápolis divulgou a pesquisa sobre os preços de produtos para a páscoa- ovos de chocolate e caixas de bombons....