(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Academias em condomínios: Uma boa opção para colocar a saúde em dia, mas com cuidado

Geral Comentários 01 de janeiro de 2017

Ano novo chegando e com ele novos propósitos no comportamento de muita gente. Dentre eles, a preservação ou a aquisição de uma forma física ideal


As academias registram nos primeiros dois meses do ano, um acréscimo enorme de “novos alunos velhos”. Isto é, muita gente que um dia começou a prática de exercícios e, por alguma ou qualquer razão, desistiu no meio do caminho.
Contudo, há uma preocupação, pois a maioria destas pessoas assumem riscos inimagináveis quando não procuram retornar aos exercícios na companhia de profissionais qualificados. Utilizando-se dos “próprios conhecimentos”, retornam às práticas esportivas por conta própria e, não são poucas as pessoas que, se machucam seriamente e até mesmo vem a óbito por não observarem cuidados importantes.
A situação se torna mais séria dentro de condomínios. Com a intenção de oferecer mais comodidade aos moradores, vários condomínios montam academias em suas dependências e disponibiliza sua utilização, desatentos a legislação vigente e desta forma, o síndico assume uma responsabilidade da qual nem faz ideia!
Apesar da grande vantagem de se ter à disposição uma estrutura apropriada para a prática de exercícios, esta não pode ser usada, sob hipótese alguma, sem que haja o acompanhamento de um profissional habilitado e registrado no CONFEF/CREFs para orientar as atividades físicas, que na maioria absoluta das vezes são feitas sem se quer uma avaliação médica que a preceda.
Todo síndico que, cumprindo a determinação da assembleia, coloca à disposição do seu condomínio uma academia, na intenção de proporcionar maior conforto e bem estar aos moradores, não deve fazê-lo sem a observância da legislação, e ainda constar no Regimento Interno a obrigatoriedade dos ossuários de, também, observar as leis vigentes, sob pena de responder judicialmente pela prática ilegal.
Há órgãos fiscalizadores que devem visitar constantemente os condomínios que possuem academias e verificar se as mesmas estão funcionando conforme a legislação determina e se os profissionais contratados estão habilitados para o exercício da função. Não estando, o condomínio é notificado e tem um prazo para cumprir tais exigências. Caso não tenham sido sanadas as irregularidades, o síndico será responsabilizado judicialmente.
O grande problema é que normalmente nenhuma providência é tomada antes que venha a primeira notificação, pois se conta com a chance de “ganhar tempo e economizar”. Contudo, há que se levar em conta que, caso haja algum “acidente” com qualquer pessoa dentro da academia, o síndico é imediatamente responsabilizado. Fica a dica!

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Geral

Construtores vão arrecadar doações

24/11/2017

No início da noite da última terça-feira,21, foi realizada a solenidade de lançamento de mais uma edição do projeto ACA...

Genérico contra o câncer de próstata

24/11/2017

Os pacientes que enfrentam o câncer de próstata poderão contar com mais uma alternativa de tratamento: na próxima segunda...

Médica anapolina no comando de UTI

24/11/2017

A médica Ludhmila Hajjar vai assumir a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Sírio Libanês, em Brasília. Bastant...

Lei institui o programa MP de Olho na Bomba

24/11/2017

Foi publicada no Diário Oficial de Goiás da última terça-feira, 21, a Lei nº 19.888, que aprova o projeto MP de Olho na ...