(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

315 postos formais de trabalho foram fechados em março

Geral Comentários 29 de abril de 2016

Diferente de março de 2015, quando o saldo positivo foi de 665 novas vagas, este ano o comércio e o setor de serviços foram os setores que mais demitiram


Anápolis foi uma das cidades goianas que mais fecharam postos formais de trabalho em março. No mês, de acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego, ocorreram 2.983 contratações e 3.298 demissões, com um saldo negativo de 315 empregos celetistas fechados. O número é mais da metade dos 667 postos de trabalho que foram abertos no mesmo mês do ano passado.
“Na verdade, o que ocorreu não foi a falta de contratações”, avalia o secretário municipal do Trabalho, Emprego e Renda, Ilmar Lopes da Luz, atribuindo o saldo negativo ao grande número de demissões feitas pelas empresas em março, segundo justificou por causa da recessão que o País está vivendo. Ele destacou que somente o setor de serviços fechou 289 postos de trabalho e, o comércio, outros 140.
Em contrapartida, a indústria de transformação foi o setor da economia anapolina que mais criou empregos celetistas, com 111 novas contratações, seguida pela agropecuária com um saldo positivo de 4 novos empregos e, a construção civil, apenas 1. Os dados do Caged mostram que entre as 2.983 admissões feitas no mês 255 foram para o primeiro emprego e 2.590 para o reemprego. Já nas 3.298 demissões, 2.206 ocorreram sem justa causa, 66 por justa causa, 647 a pedido dos trabalhadores e 99 por transferências.
Em Goiás
No Estado, também de acordo com o Caged, foram gerados 3.331 empregos celetistas, número que foi superado apenas pelo Rio Grande do Sul, com 4.803 novos empregos. Os setores da economia goiana que mais contribuíram com o resultado positivo foram a agropecuária (1.608), a indústria de transformação (1.559) e serviços (170). O comércio fechou 117 empregos e a construção civil 42.
Cristalina foi a cidade goiana que mais gerou empregos em março, com um saldo positivo de 1.431 novas vagas, seguida por Quirinópolis, com 481, Goiatuba, com 356, Itumbiara, com 303 e Formosa, com 235. Outros 14 municípios com mais de 30 mil habitantes também apresentaram saldo positivo.
Entre os municípios que mais fecharam postos de trabalho, a liderança ficou com Aparecida de Goiânia, com 479 vagas a menos, seguida por Anápolis (-315), Goiânia (-278), Niquelândia (-90) e Águas Lindas de Goiás (-89). Outros 12 municípios com mais de 30 mil habitantes também tiveram saldo negativo.
No País, março apresentou o pior resultado dos últimos 25 anos para o mês, com um saldo negativo de 118.776 vagas de emprego fechadas. A estatística do Caged mostra que nos últimos doze meses foram fechados 1.853.076 postos formais de trabalho. Com esse resultado, o Brasil completou em março 12 meses ininterruptos de fechamento de vagas de trabalho com carteira assinada.

Autor(a): Ferreira Cunha

Clique aqui para ler a página em formato PDF


Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Geral

Capitão Waldyr pode ser nome da Plataforma

13/07/2017

Decano da indústria, com uma folha de mais de 60 anos prestados aos classismo e, em especial, à Federação das Indústrias...

Prevista redução de construtores com novas exigências do MC

13/07/2017

A exigência do Ministério das Cidades para que todos os pequenos e médios construtores tenham o Cadastro Nacional da Pesso...

Anápolis presente no Conselho Nacional de Juventude

06/07/2017

A assessora de juventude da Secretaria Municipal de Cultura, Larissa Pereira, foi eleita para ocupar uma das três cadeiras d...

Ubiratan Lopes é empossado na presidência da FACIEG

29/06/2017

O empresário anapolino Ubiratan da Silva Lopes foi empossado na presidência da Federação das Associações Comerciais, In...