(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

13º salário para pagar as contas

Geral Comentários 19 de novembro de 2010

A pesquisa de intenções de gasto do 13º salário, realizada pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Anápolis, revelou a preocupação do consumidor em pagar contas atrasadas


O 13º salário, renda extra que o trabalhador tem ao final do ano, será usado por boa parte dos anapolinos, para pagar contas. Foi o que constatou uma pesquisa de intenção de gastos feita pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL). O trabalho teve a coordenação do economista Márcio Dourado, segundo o qual, a metodologia adotada para escolha total da amostra apresenta um índice de confiança de 95% e um erro amostral de 4,33%. As entrevistas foram realizadas em pontos do centro da Cidade onde ocorrem os maiores volumes de vendas e fluxo heterogêneo de pessoas, no período de 04 a 10 de novembro de 2010.
Num primeiro momento, foi questionado sobre o uso da primeira parcela do 13º salário. Segundo o levantamento, 64% dos entrevistados responderam que irão utilizar o dinheiro para o pagamento de contas e dívidas; 26% utilizarão o dinheiro extra para a aquisição de bens pessoais; 3% dos entrevistados informaram que vão poupar; 2% vão investir em melhorias no seu imóvel e 1% vai reservar o ganho para investimentos em educação.
Em relação à segunda parcela do 13º salário, essa é a parte mais atrativa para os comerciantes, uma vez que 50% dos entrevistados apontaram que vão gastar o valor recebido na compra de presentes para a família. Já, 21% dos entrevistados responderam que o dinheiro será utilizado em viagem; 11% vão fazer caixa para as despesas de início de ano, como o IPTU, IPVA, compra de material escolar, dentre outros. 10% dos entrevistados manifestaram a intenção de adquirir bens pessoais e 4%, disseram que vão pagar dívidas.
A pesquisa da CDL também traçou um perfil dos consumidores. De acordo com os dados apresentados, 52% entre os entrevistados têm renda entre um e dois salários mínimos; 26% ganham até um salário mínimo; 13%, entre dois e três salários mínimos; 7% entre três e cinco salários mínimos e 2% informaram que ganham mais de cinco salários mínimos. Em relação á situação trabalhista, 88% estão empregados (esse dado inclui os trabalhadores autônomos) e 12% não estão em empregos formais. A maioria dos trabalhadores- 32% - atua no setor de serviços; 21% no comércio; 19% na indústria; 12% no serviço público; 5% são aposentados e 5% autônomos.
O economista Márcio Dourado analisa que ao se observar o destino da primeira parcela do décimo terceiro salário, percebe-se a evolução do senso de economia por parte dos consumidores, uma vez que no ano de 2010, 64% dos entrevistados afirmaram que irão pagar contas, enquanto que em 2009 apenas, 42% afirmaram destinar essa parcela para tal finalidade.
Acerca do destino da segunda parcela do décimo terceiro salário, verifica-se uma maior tendência ao gasto com presentes, tendo uma evolução de 32% em 2009, para 50% em 2010. Paralelamente a este fator, a propensão a pagar dívidas com a segunda parcela do décimo terceiro salário reduziu-se de 30% em 2009, para apenas 4% em 2010.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Geral

Município quita dívidas trabalhistas de ex-servidores comissionados

19/04/2017

A Prefeitura de Anápolis começa a quitar dívidas trabalhistas do município, que estão pendentes desde 2011, para ex-serv...

Ovos de chocolate com diferenças salgadas, aponta pesquisa do Procon

12/04/2017

O Procon de Anápolis divulgou a pesquisa sobre os preços de produtos para a páscoa- ovos de chocolate e caixas de bombons....

Projeto da sede do MP tem significativo avanço

12/04/2017

A proposta de se definir uma nova sede para as promotorias de Justiça em Anápolis (hoje funcionando em um edifício da Aven...

Advogados receberam a Caravana Nacional de Prerrogativas

07/04/2017

Morosidade do Poder Judiciário; desrespeito por parte de autoridades policiais, juízes, promotores; porte de arma; e até o...